Flamengo oferece maior salário do elenco a Arrascaeta e já conta com "sim" do uruguaio

Apesar da resistência do Cruzeiro, clima no Rubro-Negro é de grande confiança no sucesso da negociação, que começou perto do Natal

Publicado em: 05 de Janeiro de 2019
Foto Por: Leonardo Benassatto/Reuters
Autor: Cahê Mota* — Rio de Janeiro
Fonte: G1
Arrascaeta teve seu melhor ano pelo Cruzeiro em 2018

Um jogo de xadrez com cara de paciência. É assim que o Flamengo aguarda confiante o desfecho para contratação de Arrascaeta.

 

O litígio escancarado do uruguaio com o Cruzeiro - ele não treinou novamente nesta sexta e relatou que recebeu ameaças - ajuda a justificar o otimismo carioca neste cabo de guerra. 

 

O Rubro-Negro já tem o "sim" do meia de 24 anos e de seu empresário, o ex-atacante Daniel Fonseca.

 

Há, porém, preocupação em não configurar aliciamento do jogador ainda com contrato em vigor com a Raposa. Por isso, o clube mantém-se em silêncio e observa o desenrolar dos fatos.

 

As conversas tiveram início perto do Natal e foram mantidas em sigilo até a reunião dos uruguaios com a diretoria cruzeirense. 

 

A oferta prevê contrato de cinco anos com Arrascaeta, que passaria a ter o maior salário do já estelar elenco do Flamengo.

 

O clube justifica o investimento como de retorno técnico e financeiro. Com 24 anos e duas Copas Américas em sequência pela frente, o Flamengo acredita que Arrascaeta tem condição de ficar ainda mais valorizado até a Copa do Mundo do Catar.

 

Atualmente, Arrascaeta recebe cerca de 150 mil dólares mensais (R$ 565 mil) na Toca da Raposa e teria esse montante quase triplicado, como dito pelo próprio vice cruzeirense, Itair Machado.

 

Apesar da resistência inicial dos mineiros - que não descartaram a possibilidade de negócio, é bom frisar -, há muitas partes envolvidas que veem a transação com bons olhos. Uma delas é o Defensor Sporting, clube formador do jogador.

 

Em fevereiro de 2016, os uruguaios acionaram o Cruzeiro na Fifa devido ao não pagamento de parcelas referentes à compra de Arrascaeta - realizada em janeiro de 2015.

 

Na época, falou-se em uma quantia de R$ 12 milhões (4 milhões de euros, na cotação da época) por 50% dos direitos do jogador.

 

Metade do valor foi financiado por um parceiro, e o clube mineiro parcelou o restante em 30 vezes de R$ 212.800,00, que no total chegariam a R$ 6,384 milhões. Entretanto, a situação deixou de ser quitada em abril de 2016.

 

Entre juros neste período, mais débitos envolvendo o jovem atacante Latorre, que defendeu o Cruzeiro na base e fez parte da negociação, estima-se que o montante da dívida chegue a R$ 8 milhões. A proposta do Flamengo inclui herdar essa dívida.

 

Sendo assim, além de comprar a parte que tem do jogador, o Rubro-Negro tiraria o clube uruguaio da lista de credores do Cruzeiro. Lista que conta, inclusive, com o próprio Flamengo, ainda pela venda de Mancuello.

 

O jogo de paciência da negociação entra na parte em que os cariocas contam com os cofres combalidos do Cruzeiro.

 

Estima-se que no total, entre dívida perdoada e lucro efetivo, a Raposa acumule cerca de 6 milhões de euros com a transação.

 

Flamengo mantém esperança por Dedé

 

O clube carioca também está em modo espera pela contratação de outro cruzeirense: Dedé.

 

Com os valores já apresentados aos investidores que detêm parte ds direitos econômicos e ao Cruzeiro (cerca de R$ 30 milhões), o Flamengo passa a bola agora no processo de persuasão.

 

Os mineiros já se mostraram irredutíveis quanto à venda do zagueiro. Por outro lado, o negócio é visto com bons olhos pelos investidores, e o Flamengo aguarda que este grupo consiga convencer o Cruzeiro a aceitar o negócio.

 

Dedé também observa de longe a negociação e não pretende forçar uma saída do clube mineiro.

 

A temporada nem começou, e Flamengo x Cruzeiro já protagonizam clássicos de tirar o fôlego do torcedor.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.