Quarta - Feira,
05 de Maio de 2021

Operário-PR faz testes contra o Toledo, mostra limitações do elenco e queima "gordura"

Matheus Costa escala só quatro titulares contra o Toledo; Operário-PR cria pouco, sofre um gol depois de cinco jogos e desperdiça chance de abrir vantagem na liderança

Autor: Redação do ge — Ponta Grossa

Fonte: ge — Ponta Grossa

Publicado em 03 de Maio de 2021 (Atualizado Há 2 dias atrás)

Legenda: Operário-PR perde para o Toledo por 1 a 0 no Estádio 14 de Dezembro

Autor da Foto: Carlos Chiossi/Movimento e Foco

Operário-PR usou um time cheio de reservas contra o Toledo, criou pouco na frente, falhou atrás e viu a sequência invicta chegar ao fim. O Fantasma, que não sofria gol há cinco jogos, levou 1 a 0 do Toledo e desperdiçou a chance de abrir vantagem na liderança.

A derrota do Cianorte para o Maringá no domingo manteve o Operário-PR na liderança, mas, agora, sem uma "gordura". O Coritiba, que recebe o FC Cascavel, pode ultrapassá-lo nesta segunda-feira. O Fantasma tem 14 pontos em oito jogos. O Coxa, 13 pontos em seis jogos.

Com jogadores desgastados pela maratona de partidas, Matheus Costa escalou só quatro titulares no 14 de Dezembro: o goleiro Simão, o zagueiro Léo Rigo, o meia Rafael Chorão e o atacante Felipe Garcia.

Assim, o Operário-PR começou com Simão; Lucas Mendes, Rodolfo Filemon, Léo Rigo e Fabiano; Douglas Santos, Thomaz, Rafael Chorão e Cleyton; Felipe Garcia e Schumacher.

Na estreia como titular, Filemon teve atuação segura durante a maior parte do jogo, mas cometeu pênalti bobo - Matheus Motta bateu com categoria e colocou o Toledo em vantagem no primeiro tempo.

Matheus Costa, então, promoveu as entradas de Alex Silva, Djalma Silva e Leandrinho - todos titulares - logo no intervalo. Depois, ainda colocou Fábio Alemão, outro titular, durante o segundo tempo.

O Operário-PR pressionou até o final e terminou com 17 finalizações (segundo dados divulgado por Matheus Costa na coletiva), mas não conseguiu criar muitos lances de real perigo contra o gol de João Lazzari.

A atuação contra o Toledo, principalmente na etapa inicial, evidenciou as carências do elenco diante de um time limitado - o Porco tinha apenas uma vitória em sete jogos, diante do lanterna Cascavel CR.

 

O Operário-PR pode ter um "11" qualificado, mas terá que se reforçar de olho na Série B - competição que exige muito do elenco.

Na coletiva pós jogo, além de ter defendido o planejamento de usar o time misto, Matheus Costa evitou fazer avaliações individuais. A ideia do clube é emprestar jogadores que não convençam à comissão técnica e, claro, reforçar os setores mais carentes para o segundo semestre.

- A gente não pode se precipitar, até no calor de uma pós derrota de fazer julgamentos. Temos que analisar as situações, provavelmente iremos dar mais oportunidades no decorrer desses três jogos até a fase de mata-mata. Enfrentaremos Cianorte, Cascavel (CR) e Paraná Clube. Temos que analisar caso a caso. É importante ter uma análise de treino e uma análise de jogo - afirmou Matheus Costa na coletiva.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários