Por causa da pandemia, COB vai liberar R$ 7 milhões para confederações

Programa prevê limite de R$ 200 mil por entidade beneficiada e proíbe uso para pagamento de salário de dirigentes

Publicado em: 02 de Junho de 2020
Foto Por: Reuters
Autor: Martín Fernandez — São Paulo
Fonte: Globo Esporte
Sede do COB no Rio de Janeiro

O Comitê Olímpico do Brasil criou nesta segunda-feira um programa de apoio financeiro no valor total de R$ 7 milhões para seus filiados – as confederações de cada modalidade.

 

Segundo o comunicado distribuído pelo COB às entidades, cada uma poderá pedir no máximo R$ 200 mil, valor que deverá ser utilizado até o dia 31 de dezembro deste ano.

 

O uso dos recursos está condicionado à apresentação de projetos específicos. Os valores não podem ser usados para pagar salário de dirigentes nem para complementar ou viabilizar aumento de salário de funcionários ou de fornecedores.


O comunicado do COB informa que, após o uso dos recursos, as confederações têm 30 dias para prestar contas. No entanto, a entidade também prevê que este prazo poderá ser prorrogado "diante de circunstâncias excepcionais".

 

O COB informou ainda que os R$ 7 milhões virão de recursos próprios, obtidos por meio de patrocínios privados.

 

No final deste ano, o COB terá eleições – tudo indica que será a primeira em 41 anos com mais de um candidato. As 35 confederações nacionais formam a maior parte do colégio eleitoral, que tem ainda os 12 integrantes da Comissão de Atletas e mais os dois representantes do Brasil no Comitê Olímpico Internacional, que são o ex-jogador de vôlei Bernard Rajzman e o atual presidente do Comitê Paralímpico Internacional, Andrew Parsons.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.