"Apressado come cru" e "conversa fiada": rumores sobre Pepê geram rusga entre Grêmio e empresário

Técnico Renato Portaluppi e vice de futebol Paulo Luz reforçam necessidade de ter jogador para reta final da temporada, enquanto sugerem pressão do agente Adriano Spadotto para venda

Publicado em: 07 de Janeiro de 2021
Foto Por: Eduardo Moura/ge
Autor: Eduardo Moura — Porto Alegre
Fonte: GE — Porto Alegre
Pepê e Renato em vitória do Grêmio

A vitória por 2 a 1 sobre o Bahia na quarta-feira que colocou o Grêmio no G-4 do Brasileirão ficou em segundo plano após as entrevistas coletivas na Arena. As especulações sobre uma possível saída de Pepê para a Europa contrastam com a ausência de uma proposta oficial, garante o clube. E geram um incômodo com o empresário do atacante, Adriano Spadotto.

+ Presidente vê Pepê no mesmo nível de Everton
+ Como o Grêmio lida com a cobiça por Pepê

 

O técnico Renato Portaluppi, especialmente, citou o agente após o triunfo da noite passada ao ser perguntado sobre o assédio ao jogador, alvo do Porto outra vez na atual janela de transferências. Pediu mais calma na condução do caso e defendeu a permanência de Pepê até o fim da temporada atual.

 

Isso significa o término do Brasileirão e as finais da Copa do Brasil, que estão marcadas inicialmente para dias 3 e 10 de fevereiro. A janela em Portugal fecha no dia 5.

 

— É lógico que a gente conta com o Pepê. Ele tem contrato com o Grêmio. O próprio empresário do jogador, numa hora dessas, deveria pensar com um pouco mais de inteligência. Sendo campeão, é valorizado. As pessoas acham que os negócios têm que sair da noite para o dia. Esses empresários têm se aproveitado muito dos clubes ultimamente — criticou Renato.

 

Muita calma nessas horas. Ah, porque fulano ligou para ele, esse está interessado. O apressado come cru. Daqui a pouco os empresários ficam botando minhoca, essa é a verdade. Aí o jogador não está aqui e é desvalorizado lá fora.

— Renato Portaluppi

 

Os constantes rumores de clubes europeus em busca de Pepê se assemelham ao período da venda de Everton Cebolinha ao Benfica. As conversas entre o técnico e o jogador também aumentaram justamente para evitar que isso mexa com a cabeça do jovem, que vai completar 24 anos em fevereiro.

 

O empresário Adriano Spadotto esteve em Porto Alegre antes dos jogos semifinais da Copa do Brasil, com o São Paulo, e por óbvio encontrou Pepê. Nos últimos dias, também foi ponte para que o ex-meia Deco, campeão pelo Porto, passasse referências ao atacante sobre o clube e a cidade.

 

Os dirigentes dizem não ter nenhuma reunião marcada com o empresário nem com qualquer time da Europa. Mesmo assim, citam uma espécie de pressão para que o negócio seja celebrado. E que as possibilidades são mais tratadas publicamente que com a diretoria.

 

Pepê vira alvo do Porto, mas Grêmio nega ter proposta oficial pelo atacante

A cada momento de abertura de janela, acontece, é normal, mas claro que nos preocupa. Pepê é uma peça fundamental. Então, seu estado anímico, sua condição emocional é fundamental para nós e para ele também.

— Paulo Luz, vice de futebol

 

— Temos que ter muita tranquilidade neste momento, muita serenidade. Primeiro, esses atletas têm contrato em vigor com o Grêmio por um prazo longevo. Segundo, o que está havendo no momento é muita conversa. Até diria assim: muita conversa fiada. Porque não há nada de proposta formal, oficial — analisou o vice de futebol Paulo Luz.

 

O presidente Romildo Bolzan Júnior, em entrevista à RBS TV, reconheceu que houve conversa para que uma possível proposta seja avaliada nesta janela. Em outubro, o Porto ouviu um "não" do Grêmio.

 

O elenco se reapresenta nesta quinta-feira no CT Luiz Carvalho e se prepara para o jogo de sábado, às 21h, contra o Fortaleza, no Castelão. Na tabela do Campeonato Brasileiro, o Grêmio chega aos 48 pontos, na quarta colocação, e passa o Inter, que joga nesta quinta.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.