Responsável pela contratação de Fred em 2009 aposta: "Ainda terá muito sucesso pelo Fluminense"

Homem forte do futebol tricolor na época, Alexandre Faria foi quem fechou acordo e lembra: "Se não tivéssemos a iniciativa de ir pessoalmente a Lyon, acredito que não teríamos tido sucesso"

Publicado em: 13 de Junho de 2020
Foto Por: Photocamera
Autor: Paula Carvalho e Thiago Lima — Rio de Janeiro
Alexandre Faria trabalhou no Fluminense por apenas oito meses

A torcida pelo sucesso de Fred neste retorno ao Fluminense não é só dos tricolores. Responsável pela contratação do centroavante em 2009, Alexandre Faria atualmente não está mais trabalhando em clubes – seu último foi o Vasco no ano passado. Mas continua acompanhando o esporte, agora à distância. Em entrevista ao GloboEsporte.com, o ex-homem forte do futebol tricolor prefere evitar fazer comparações, mas aposta em nova passagem de êxitos do camisa 9 pelas Laranjeiras.

 

– Não acho que devemos fazer comparações, pois são momentos muito diferentes. Estamos falando de 11 anos de diferença! Penso que ele ainda terá muito sucesso nesta sua nova passagem pelo Flu, pois hoje, com mais experiência, poderá ajudar o clube em aspectos fora do gramado também.

 

+ O ídolo está de volta! Fred é anunciado pelo Fluminense: "Sensação de voltar para casa"
+ Chegada de bicicleta entra para galeria de momentos marcantes de Fred no Flu; relembre
+ De volta para o FLUturo: como era o Flu quando Fred saiu e o que o ídolo encontrará ao voltar?

– Minha expectativa é que faça gols, seja feliz e dê muitas alegrias para a torcida tricolor que, realmente, é sensacional. Não tenho dúvidas que a volta do Fred se deve muito ao carinho dos tricolores com ele e à energia que essa torcida passa. Realmente, a torcida do Fluminense é única.

 

Alexandre Faria chegou ao Tricolor em dezembro de 2008 na função de coordenador geral de futebol. Porém, deixou o clube em agosto de 2009 diante dos resultados ruins do time, que chegou a ser lanterna do Campeonato Brasileiro. Mas não sem antes dar a sua contribuição para a era gloriosa do clube que se iniciaria em 2010: a contratação de um nome que fez história nas Laranjeiras.

 

Fred tinha 25 anos, estava no auge da forma física e há quatro temporadas no futebol francês pelo Lyon, quando o Fluminense resolveu apostar em repatriá-lo com o aporte da Unimed por trás. Só que não era uma tarefa nada simples. Além da concorrência, havia uma dívida do clube francês com o centroavante, que não abria mão de receber. Foram várias semanas de negociação até conseguir amarrar um acordo. E Faria foi o grande responsável pelo desfecho positivo.

 

– Eram dificuldades normais de um atleta do nível do Fred, principalmente por estarmos falando de 2009, quando o jogador estava em uma fase excepcional e era um grande ídolo do Lyon, status que mantém até hoje. A equipe ganhava tudo no campeonato francês e tinha ótima performance em competições internacionais. Fred era muito querido pelos torcedores e tinha em mãos propostas de várias outras equipes grandes do mundo. Não era fácil competir com estas equipes e tirá-lo do Lyon.

 

– Pesou a nosso favor a força da camisa e da torcida do Fluminense, o apoio do doutor Celso Barros como grande patrocinador do clube em 2009, e a vontade do Fred em voltar para o Brasil e de estar perto da Geovanna, sua única filha àquela época. A prova disso é que Fred renunciou a uma parte da dívida que o Lyon tinha com ele, e o patrocinador pagou a outra parte. Se não tivéssemos a iniciativa de ir pessoalmente a Lyon para tentar o negócio, acredito que não teríamos tido sucesso.

 

+ Fred aparece no BID como jogador do Flu e já pode reestrear quando jogos de futebol voltarem
+ Fred, Ganso e Nenê podem jogar juntos no Fluminense? Especialistas analisam
+ Fred recorda "não" ao Flamengo em 2017 e afirma: "Mancharia a minha trajetória no Fluminense"

Fred chegou ao Fluminense já com pompas de ídolo: apresentação no salão nobre das Laranjeiras e torcida em festa nas Laranjeiras. O impacto da contratação chegou a ser comparado com o de Ronaldo pelo Corinthians na mesma época. E o resultado todos conhecem: bicampeão brasileiro, campeão carioca e da Primeira Liga, 288 jogos, 172 gols, artilharias... Mesmo tendo trabalhado pouco tempo juntos, Faria diz que não se surpreendeu com o desempenho do camisa 9:

 

– Em termos individuais não (surpreendeu), pois eu conhecia o atleta desde o sub-20 no América-MG e sabia de sua capacidade e de seu foco. As equipes formadas pelo Fluminense eram fortes e isso se converteu em títulos para o Tricolor, pois o Fred tinha companheiros de alto nível a seu lado e isso favoreceu para que ele tivesse marcas individuais muito importantes.

 

Coincidentemente, Alexandre Faria e Fred começaram no América-MG, e o dirigente acompanhou a promoção do jovem para o profissional. Depois de três anos juntos no Coelho, os dois só voltaram a trabalhar um com o outro no Fluminense, mas por apenas seis meses. Mesmo assim, eles preservaram ao longo do tempo uma relação de amizade. Questionado se ainda mantém contato com o centroavante, disse que sim e que percebeu o jogador muita empolgado.

 

– Sim, mas hoje mantemos menos contato. A vida segue seus caminhos, Fred hoje tem uma linda família, uma esposa muito bacana e filhos maravilhosos. Ele está muito feliz nesta fase de sua vida, e isso vai possibilitar a ele ter grande sucesso na sequência de sua carreira, pois está bastante motivado em reencontrar o Fluminense.

 

Errata: diferentemente do que informado, Alexandre Faria não é membro do conselho gestor do Cruzeiro. O Alexandre Faria que é funcionário da Raposa é um homônimo do ex-dirigente do Fluminense. O erro foi ao ar às 6h e corrigido às 10h57.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.