Domingo,
26 de Setembro de 2021

Resumo das Olimpíadas: derrota polêmica de Maria Portela e saída surpresa de Simone Biles

Brasileira é eliminada no judô por acúmulo de punições, chora e comove as redes sociais. Maior estrela da Tóquio 2020 decide não disputar final individual geral da ginástica para preservar bem-estar mental

Autor: Redação do ge — Tóquio, Japão

Fonte: ge — Tóquio, Japão

Publicado em 28 de Julho de 2021 (Atualizado Há 2 meses atrás)

Legenda: Maria Portela desaba chorando após receber o terceiro shido e ser eliminada das Olimpíadas de Tóquio 2020

Autor da Foto: Gaspar Nóbrega/COB

Mais uma noite de Olimpíadas de Tóquio 2020 e mais uma polêmica envolvendo a arbitragem de um evento com brasileiro. Mas se na véspera o ouro de Ítalo Ferreira ajudou a superar a decepção com a eliminação de Gabriel Medina com nota duvidosa, na madrugada de terça para quarta-feira não houve uma medalha que apagasse a tristeza com a eliminação de Maria Portela. O país se revoltou com a derrota da judoca brasileira por acúmulo de punições nas oitavas de final da categoria até 70kg feminino.

Portela havia estreado bem, com um rápido ippon em 28s contra a afegã Nigara Shaheen. Nas oitavas de final, porém, disputou uma batalha de quase 15 minutos contra a russa Madina Taimazova. Após terminar os quatro minutos regulamentares sem pontuações, as duas foram empatadas para o ponto de ouro, que durou quase 11 minutos.

Poderia ter terminado no terceiro minuto, quando Maria projetou Taimazova, que tocou os ombros no solo antes de girar e cair de frente, num aparente wazari. O árbitro Everardo Garcia não deu ponto e o lance foi à revisão em vídeo, mas mesmo assim a pontuação não foi concedida. A luta seria decidida com a terceira punição (shido) por falta de combatividade de Portela, após quatro entradas seguidas da russa.

O choro desesperado de Maria Portela comoveu a torcida brasileira, que se revoltou com a resolução do combate nas mãos do árbitro. Os comentaristas da TV Globo e dos canais SporTV reclamaram que o wazari tinha sido nítido, e receberam o coro de ex-campeões mundiais como João Derly e Luciano Corrêa.

Representante brasileiro na categoria até 90kg masculino, Rafael Macedo foi eliminado na primeira luta, com um ippon em 30 segundos.

+ Confira a agenda das Olimpíadas
+ Acompanhe tudo das Olimpíadas de Tóquio em Tempo Real
+ Veja o quadro de medalhas atualizado
+ Previsões de pódio e medalhas das Olimpíadas de Tóquio
+ Entenda os protocolos das Olimpíadas contra a covid
+ Navegue pelo quadro de medalhas histórico dos Jogos
+ Jogue o card games das Olimpíadas

Simone Biles fora da final individual

A outra grande notícia da madrugada foi a desistência da maior estrela desta edição dos Jogos de defender um de seus quatro títulos olímpicos. Após largar a disputa da final geral por equipes na manhã de terça-feira, a ginasta supercampeã Simone Biles decidiu nesta quarta se retirar também da final individual geral. Em comunicado oficial, a federação americana de ginástica informou que, após avaliação médica adicional, Biles optou por cuidar do seu bem estar emocional e não disputar a final.

Simone Biles conquistou quatro ouros e um bronze na Rio 2016, incluindo o título no individual geral. Em Tóquio, ela se tornou a primeira americana na história a se classificar a todas as seis finais femininas. Ela ainda avalia se disputará as finais individuais por aparelho - está classificada para todas as quatro. Com a saída de Biles, outra americana, Jade Carey, nona colocada nas classificatórias, herdou sua posição na final individual geral.

Chegou bagunçando a zorra toda

Depois de a equipe do skate street conquistar duas pratas (e os corações de todos os brasileiros), na madrugada desta terça para quarta foi a vez de a equipe de skate park chegar em Tóquio. E chegou chegando: ao som de Charlie Brown Jr. no transporte para a Vila Olímpica e com direito a grinds de Pedro Barros e Yndiara Asp nas famosas camas de papelão de seus quartos.

Brasileiros decepcionam na piscina

A medalha de bronze de Fernando Scheffer na véspera e os bons desempenhos nas classificatórias encheram a natação brasileira de esperanças para esta quarta. Contudo, Leonardo de Deus não repetiu o bom tempo da semifinal e terminou em sexto lugar no 200m borboleta. A prova foi vencida pelo húngaro Kristof Milak, que quebrou recorde olímpico de Michael Phelps, mas não comemorou: queria o recorde mundial, e estava frustrado por ter rasgado seu traje minutos antes da final.

 

 

 

 

00:00/03:50

 

Leo de Deus termina em sexto e Kristof Milak (HUN) bate recorde nos 200m borboleta masculino nos Jogos de Tóquio

revezamento 4x200m livre masculino foi vencido pela Grã-Bretanha, que voou baixo para conquistar o ouro à frente do Comitê Olímpico Russo e da Austrália. A equipe brasileira, formada por Scheffer, Murilo Sartori, Breno Correia e Luiz Altamir, chegou a estar na segunda posição, virou em sexto lugar em três parciais, mas terminou na oitava posição.

 

Pigossi/Stefani nas semifinais de duplas femininas no tênis

 

Laura Pigossi e Luisa Stefani seguem surpreendendo no torneio de duplas femininas no tênis. O time brasileiro, que entrou nas Olimpíadas a uma semana da estreia graças à desistência de outras atletas, venceu as americanas Bethanie Mattek-Sands e Jessica Pegula por 2 sets a 1, com parciais de 1/6, 6/3 e 10/6 no match tie-break. Desta forma, se classificaram às semifinais e já garantiram a melhor campanha do Brasil na disputa de duplas femininas.

Laura Pigossi e Luisa Stefani vencem e vão às semifinais nas Olimpíadas de Tóquio — Foto: REUTERS

Laura Pigossi e Luisa Stefani vencem e vão às semifinais nas Olimpíadas de Tóquio — Foto: REUTERS

 

Ana Sátila e Pepê Gonçalves nas semifinais da canoagem slalom

 

Depois de parar nas semifinais no K1, a canoísta Ana Sátila se classificou a mais uma semifinal na canoagem slalom, desta vez no C1. A brasileira teve a quarta melhor marca das eliminatórias da prova: 109s90. Ela disputa a semifinal na madrugada de quinta-feira, a partir de 2h (horário de Brasília).

O brasileiro Pepê Gonçalves também fará uma semifinal na canoagem slalom, mas no K1. Ele teve o 10º melhor tempo das preliminares, com 92s91. Sua semifinal será disputada na sexta-feira às 2h.

Ana Sátila nas eliminatórias do C1 feminino da canoagem slalom nas Olimpíadas de Tóquio 2020 — Foto: Miriam Jeske / COB

Ana Sátila nas eliminatórias do C1 feminino da canoagem slalom nas Olimpíadas de Tóquio 2020 — Foto: Miriam Jeske / COB

 

Brasileiros nas quartas de final no boxe e no tiro com arco

 

Os brasucas fizeram bonito nesta madrugada no boxe e no tiro com arco. No ringue, Keno "Marley" Machado passou pelo chinês Daxiang Chen por decisão unânime após uma interrupção médica (um corte proveniente de um choque acidental de cabeças deixou Chen sem condições de continuar). A vitória o classificou às quartas de final.

Marcus D'Almeida já tem o melhor resultado do Brasil no tiro com arco na história das Olimpíadas — Foto: Toru Hanai/Getty Images

Marcus D'Almeida já tem o melhor resultado do Brasil no tiro com arco na história das Olimpíadas — Foto: Toru Hanai/Getty Images

No tiro com arco, Marcus Vinícius D'Almeida venceu dois duelos nesta terça-feira para ir às quartas de final no torneio individual masculino. Nas oitavas, ele superou o holandês Sjef van den Berg por 7 a 1. Ao chegar nas quartas, Marcus D'Almeida conquista o melhor resultado do Brasil na história do tiro com arco.

 

EUA se recuperam no basquete masculino

 

Após a decepção da derrota para a França na estreia, a seleção masculina de basquete dos EUA deu a volta por cima nesta quarta-feira de madrugada. A vitória por 120 a 66 sobre o Irã foi um treino de luxo para a equipe do treinador Greg Popovich, que aproveitou a fragilidade do adversário para usar todos os 12 jogadores disponíveis. O armador Damian Lillard foi o cestinha, com 21 pontos, todos em bolas de 3 pontos, sete no total.

Detalhe interessante: a brasileira Andreia Silva comandou a equipe de arbitragem na partida, se tornando a primeira mulher na história a comandar a arbitragem num jogo olímpico de basquete masculino.

Damian Lillard arremessa de 3 pontos: ele converteu sete chutes de longa distância contra o Irã — Foto: Gregory Shamus/Getty Images

Damian Lillard arremessa de 3 pontos: ele converteu sete chutes de longa distância contra o Irã — Foto: Gregory Shamus/Getty Images

 

Grael e Kunze caem ao quinto lugar na 49er FX

 

Na vela, foram disputadas regatas em oito categorias nesta quarta-feira, sete delas com barcos brasileiros no mar. Medalhistas de ouro na Rio 2016, Martine Grael e Kahena Kunze caíram ao quinto lugar na 49er FX após seis regatas, três delas disputadas nesta quarta. Na 470, Bruno Bethlen e Henrique Haddad estão em 10º lugar após duas regatas, que incluíram um terceiro lugar na segunda corrida.

Marco Grael e Gabriel Borges estão na 12ª posição após quatro regatas na 49er masculina. Jorge Zarif é 13º na Finn após quatro regatas; Patrícia Freitas está em 10º lugar após nove regatas na RS:X; Fernanda Oliveira e Anna Barbachan estão em 11º lugar após duas regatas na 470 feminina; e Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino estão em 11º lugar após três regatas na Nacra 17 mista.

 

Derrotas no vôlei de praia e badminton

 

A madrugada não foi feliz para o Brasil no vôlei de praia e no badminton. Nas areias, Ana Patrícia e Rebecca foram superadas pela dupla Graudina e Kravcenoka, da Letônia, por 2 sets a 1 (15/21, 21/12 e 12/15). Com uma vitória e uma derrota, decide a vaga nas oitavas de final na sexta-feira, quando enfrenta as americanas Claes e Sponcil.

No badminton, Fabiana Silva perdeu por 2 sets a 0 (21/9 e 21/10) para a americana Beiwen Zhang e terminou eliminada do torneio com a última posição no Grupo H.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários