Quarta - Feira,
26 de Janeiro de 2022

Tite diz que Lodi desfalca Brasil por vacinação e critica seleção argentina

Autor: Gabriel Carneiro e Igor Siqueira Do UOL, em São Paulo e no Rio de Janeiro

Fonte: Do UOL, em São Paulo e no Rio de Janeiro

Publicado em 14 de Janeiro de 2022 (Atualizado Há 2 semanas atrás)

Legenda: Renan Lodi durante jogo da seleção brasileira contra a Colômbia; ele ficou fora dos primeiros jogos de 2022

Autor da Foto: MB Media/Getty Images

O lateral-esquerdo Renan Lodi, do Atlético de Madri, foi desconsiderado da convocação da seleção brasileira anunciada hoje (13) por não ter o esquema vacinal completo. Segundo o técnico Tite, o jogador perdeu qualquer chance de compor o grupo neste momento por não estar plenamente imunizado contra a covid-19.

"O que posso antecipar é que Renan Lodi foi alijado da possibilidade de convocação em função de sua não-vacinação. Essa informação nos foi passada, então ele perdeu a possibilidade de concorrer em função de não ter se vacinado", afirmou Tite em entrevista coletiva.

O técnico ressaltou a importância da vacinação, que também é necessária para cumprir requisitos das autoridades sanitárias do Equador, onde a seleção jogará. O país exige imunização completa para permitir a entrada de visitantes.

Vacinação é uma responsabilidade social, ela é minha e para a pessoa que está do lado. Eu trago essa responsabilidade comigo, eu e minha família, eu e as pessoas que tenho responsabilidade. Eu queria ter meus pais, não os tenho, mas queria ter a oportunidade de poder protegê-los. Então eu vejo uma responsabilidade social. Segundo, o aspecto é respeitando a parte das autoridades sanitárias."

O coordenador da seleção brasileira Juninho Paulista também analisou a situação e explicou que o lateral do Atlético de Madri só tomou a primeira dose do imunizante.

"O Renan não poderia entrar no Equador, aqui no Brasil também teria restrições. Ele teve a primeira dose da vacina agora no dia 10, então não estaria apto dentro das regras sanitárias dos países de poder adentrar e estar com a delegação", explicou o dirigente.

O estafe do lateral-esquerdo foi procurado, mas ainda não se manifestou sobre as declarações de Tite e Juninho Paulista. Lodi contraiu covid-19 em maio de 2020 e se recuperou bem. Em novembro do ano passado, ele foi convocado para a seleção mesmo sem ter tomado uma única dose da vacina.

Tite aproveitou a oportunidade para criticar a postura da seleção argentina, que desrespeitou uma série de medidas sanitárias impostas pela Anvisa em sua vinda ao Brasil, no jogo que deveria ter sido disputado em setembro do ano passado.

Nós respeitamos a lei desse país [o Equador], diferente de quando a Argentina veio para cá e entrou com atletas sem a devida autorização e, em termos legais, o Brasil entrou em campo, jogamos. Na parte esportiva fizemos nossa parte, o Brasil, com suas instituições, fez a parte dele. Ninguém vem aqui fazer o que quer, entrar ignorando situações clinicas médicas. Polícia e Anvisa fizeram e deixaram um recado: respeitem o Brasil. Estou bastante curioso para a decisão da Fifa [sobre o episódio]. No esportivo permanecemos em campo e fomos jogar, fizemos a coisa correta. Em termos legais do país fizemos a coisa correta. Agora, estou na expectativa para ver o que a Fifa vai dar como resposta final."

Por fim, o auxiliar técnico César Sampaio ressaltou que a seleção brasileira não exigirá a vacinação de nenhum dos atletas.

"A seleção não obriga atletas a se vacinarem, nós respeitamos [as decisões individuais], temos a nossa opinião, mas não obrigamos nenhum atleta a se vacinar", disse.

Sem Lodi, o treinador chamou os laterais Alex Sandro (Juventus) e Alex Telles (Manchester United). A convocação vale para duas partidas das Eliminatórias para a Copa do Mundo no Qatar, contra Equador e Paraguai, respectivamente nos dias 27 de janeiro e 1º de fevereiro. O Brasil já tem vaga garantida no Mundial, e a briga por lugar na lateral-esquerda é uma das mais equilibradas.

"O Guilherme Arana poderia estar, sim. Mas por não ter tido treinamentos específicos [neste mês], também ficou alijado de uma concorrência maior [na posição]", afirmou Tite, sobre o jogador campeão brasileiro pelo Atlético-MG.

"Nós temos um radar de 40 a 45 atletas que concorrem em suas posições para este momento [de convocação]. Todos são atletas de altíssimo nível, e o momento é o que determina a convocação ou não", reiterou o auxiliar-técnico César Sampaio em seguida. "O Telles tem esta concorrência no setor. O Arana está voltando depois [a treinar], e o Lodi tem esse problema da vacina, por isso ambos perderam espaço agora", completou.

Médico da seleção também se posiciona

Jorge Pagura, diretor médico da CBF, também participou da entrevista coletiva de Tite com posicionamentos sobre o caso Renan Lodi. Sua participação na conferência não estava prevista anteriormente.

"Existem dois tipos de condição. Como bem falou nosso treinador Tite, o interesse coletivo ele supera interesse individual em relação à vacinação. Esse é um problema técnico e institucional, onde a CBF prioriza quem tem vacinação completa conforme é um conceito científico do mundo todo. É a primeira situação. Segundo, na situação atual o Equador não permite a entrada de quem tem o ciclo de vacinação incompleto", afirmou o profissional de saúde.

Pagura ainda informou que seriam necessários cinco dias de quarentena e teste negativo para covid-19 caso Renan Lodi fosse convocado para os jogos de janeiro e fevereiro, porque o Brasil definiu novas regras para entrada de viajantes em dezembro do ano passado — ou seja, as regras ainda não valiam em novembro, quando o jogador foi convocado pela última vez sem restrições mesmo antes de ser vacinado.

Renan Lodi tomou a primeira dose da vacina no dia 10, pouco antes de o Atlético de Madri embarcar para a Arábia Saudita, palco dos jogos da Supercopa da Espanha. O país exige vacinação completa para ingresso de visitantes, mas segundo a imprensa internacional as medidas foram relaxadas por ocasião do torneio.

Confira a convocação:

Alisson (Liverpool)
Ederson (Manchester City)
Weverton (Palmeiras)

Emerson (Tottenham)
Dani Alves (Barcelona)
Alex Sandro (Juventus)
Alex Telles (Manchester United)

Éder Militão (Real Madrid)
Gabriel Magalhães (Arsenal)
Marquinhos (PSG)
Thiago Silva (Chelsea)

Bruno Guimarães (Lyon)
Casemiro (Real Madrid)
Fabinho (Liverpool)
Fred (Manchester United)
Gerson (Marselha)
Everton Ribeiro (Flamengo)
Lucas Paquetá (Lyon)
Philippe Coutinho (Aston Villa)

Antony (Ajax)
Gabriel Barbosa (Flamengo)
Gabriel Jesus (Manchester City)
Matheus Cunha (Atlético de Madri)
Raphinha (Leeds)
Rodrygo (Real Madrid)
Vinícius Jr. (Real Madrid)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários