Segunda - Feira,
19 de Abril de 2021

VAR acumula problemas na primeira rodada do Paulistão

VAR sofre paralisação na partida entre São Bento x Mirassol, Campeonato Paulista

Autor: Por Redação do ge — São Paulo

Fonte: Redação do ge — São Paulo

Publicado em 01 de Março de 2021 (Atualizado Há 2 meses atrás)

Legenda: Sem Legenda

Autor da Foto: Reprodução/SporTV

 

A edição 2021 do Campeonato Paulista é a primeira a contar com árbitro de vídeo desde a fase de grupos. Até então, a tecnologia só estava disponível nos mata-matas. O que deveria ser uma boa notícia se transformou em uma série de dores de cabeça – que começou antes mesmo da primeira rodada da competição.

 

A Federação Paulista de Futebol se planejou para ter uma operação centralizada do VAR. Ou seja, todos os jogos seriam acompanhados por uma estrutura única na sede da FPF, na Zona Oeste da capital paulista. Mas dois dias antes da estreia da competição o projeto teve que ser adiado por pelo menos mais duas rodadas.

+ Veja a tabela e a classificação do Paulistão


O atraso se deu porque a empresa inglesa Hawk-Eye (a mesma que opera o VAR na Uefa e na CBF, por exemplo), alegou "um problema na logística de importação de equipamentos". Em nota publicada em seu site, a FPF chamou de "inconcebível falha da Hawk-Eye" e afirmou estar "tomando todas as providências cabíveis".

 

Sem uma operação centralizada, a solução foi instalar cabines de VAR em todos os estádios do torneio – como acontece no Campeonato Brasileiro, por exemplo. E a primeira rodada já registrou dois problemas. A "central do VAR" vai começar a funcionar a partir da terceira rodada.

 

No jogo entre São Bento e Mirassol, um problema técnico impediu que as imagens chegassem até o monitor que fica na beira do campo – ou seja, aquele usado para consultas quando um lance precisa ser checado. O árbitro Matheus Delgado Candançan teve que "checar" um toque de mão pelo rádio pelos árbitros que estavam na cabine do VAR.

 

No domingo, o empate entre São Paulo e Botafogo de Ribeirão Preto foi marcado por lances polêmicos. O mais grave deles: o gol do Botafogo não teve como ser checado pelo VAR, porque nenhuma das câmeras podia assegurar se Dudu (o autor do gol) estava em posição legal ou em impedimento.

 

O São Paulo também reclamou muito da anulação de um gol de Pablo, anotado a poucos minutos do fim do jogo. O árbitro de vídeo, que na partida do Morumbi foi operado por Raphael Claus, árbitro da polêmica expulsão de Rodinei em Flamengo x Inter, viu um impedimento de Daniel Alves no início do lance.

 

Para a comentarista do Grupo Globo Nadine Basttos, o jogador do São Paulo estava na mesma linha que seu marcador.

 

Na segunda rodada do Campeonato Paulista o VAR vai continuar funcionando com cabines instaladas em cada estádio. A partir da terceira rodada deve funcionar a estrutura centralizada na sede da FPF. Nos próximos dias, a federação e a Hawk-Eye devem se reunir para avaliar os problemas e encontrar soluções.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários