Sábado,
18 de Setembro de 2021

Assassinato cruel de casal e filha miracemenses em fazenda de Pedro Afonso completa dois anos sem respostas.

Autor: Ascom

Fonte: Ascom

Publicado em 27 de Julho de 2021 (Atualizado Há 2 meses atrás)

Legenda: Sem Legenda

Autor da Foto: Divulgação

Há exatos dois anos três pessoas da mesma família foram encontradas mortas em uma Fazenda na cidade de Pedro Afonso/TO. Maria de Nazaré Barbosa Pereira Dama de 55 anos, José Miguel Dama de 65 anos e a filha, Ester Barbosa Dama de 21 anos foram brutalmente assassinados por motivos que até hoje não foram esclarecidos.

Os corpos foram encontrados no sábado, 27 de julho de 2019, por amigos das vítimas. O crime já havia ocorrido há pelo menos dois dias e as vítimas apresentavam marcas de violência e perfurações por arma de fogo.

A família, tida como pacata, morava na Fazenda há mais de 20 anos, sobreviviam da agricultura familiar e não tinham qualquer histórico de divergências com ninguém.

Conhecidos por serem pessoas alegres e receptivas, eram evangélicos, queridos na região e também no Município de Miracema do Tocantins onde mantinham laços familiares.

As circunstancias chocantes do assassinato até hoje provocam dor e angustia na família e amigos que não conseguem entender quais motivos levariam tamanha crueldade.

A filha do casal, Ester Barbosa Dama, estava concluindo o curso de Letras no IFTO/Palmas e retornava todos os períodos de férias para a propriedade da família para ajuda-los na lida, quando em uma dessas ocasiões ocorreu o fatídico crime.

A Delegacia de Pedro Afonso/TO responsável pela investigação ainda não conseguiu concluir o inquérito e apresentar um desfecho. O caso segue sendo um mistério e a família divulga uma carta aberta clamando por justiça!

Se qualquer pessoa tiver alguma informação que possa ajudar na elucidação deste terrível crime que ceifou a vida de uma família inteira, entre em contato com a Delegacia de Polícia de Pedro Afonso por meio dos números indicados pela polícia – (63) 3466- 2070/3466-2290; ou ligue para o disque denúncia - 197. Não há necessidade de se identificar.

 

CARTA ABERTA NA ÍNTEGRA

 

Miracema do Tocantins, 27 de julho de 2021.

Dor, angústia, tristeza e muitas perguntas sem respostas.

Estes são os sentimentos das famílias de Maria de Nazaré Barbosa Pereira Dama, José Miguel Dama e a jovem Ester Barbosa Dama. Família evangélica encontrada morta no dia 27 de julho de 2019, na Fazenda São Pedro – próximo à Vila Mata Verde, município de Pedro Afonso, Tocantins. Todos os dias os parentes se perguntam: quem tinha interesse em assassinar três pessoas que viviam tranquilamente, trabalhando em sua propriedade, sem inimigos e sem confusões? Quem se beneficiaria com essas mortes?

A Família Barbosa Dama vivia naquele local há 20 anos; a senhora Maria de Nazaré era de família da região, conhecida por todos. Pessoas de bem que lutavam para viver com dignidade e melhores condições de vida. O casal Maria de Nazaré e José Miguel morava na fazenda e viviam da agricultura familiar. Além disso, possuíam uma casa na Vila Mata Verde, aonde iam de 15 em 15 dias, para participarem de cultos, reuniões, consultas e ir a Pedro Afonso fazer compras (uma vez por mês). Eram pessoas alegres, amigas de todos e não tinham divergências com ninguém.

A jovem Ester viveu com os pais até os 9 anos, idade com a qual mudou-se para Palmas, para a casa da tia e assim continuar os estudos. Alegre, meiga, estudiosa, era uma garota da qual as famílias muito se orgulhavam. Com 21 anos à época do seu brutal assassinato junto dos pais, estava prestes a concluir o curso superior em Letras, no IFTO/Palmas. Ia sempre a fazenda passar férias com os pais, como naquele fatídico mês de julho de 2019.

Para as famílias os últimos dois anos têm sido muito tristes. Principalmente por saber que a vida dos três foi ceifada covardemente, e infelizmente até hoje o(s) assassino(s) não foi(ram) identificado(s) e está/ão solto(s), sujeito(s) a cometer outros crimes. A violência tem aumentado em nosso país e são muitas as famílias que se tornam vítimas da criminalidade, mas é preciso lutar e acreditar na justiça. Não é possível que tantas pessoas percam a vida injustamente, enquanto o(s) assassino(s) permanece(m) solto(s) colocando as vidas de tantas outras pessoas em risco.

São anos de impunidade, de falta de respostas e angustia. Muitos dias de sofrimento e saudade. Sem justiça e sem punição do(s) culpado(s). Por isso, as famílias imploram que se alguém tiver informações, que procure a delegacia de polícia em Pedro Afonso ou telefone para os números indicados pela polícia – (63) 3466- 2070/3466-2290. Ou ligue para o disque denúncia 197 e repasse as informações. Não precisa se identificar.

É preciso que todos estejam juntos na luta por justiça e as famílias clamam por justiça!

 

Família Barbosa e Família Dama.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários