Dono de bar é amarrado e morto a facadas após ter casa invadida por criminosos

José Orlando Gomes Tranqueira tinha 45 anos. Segundo a Polícia Civil o crime se trata de um latrocínio, que é roubo seguido de morte.

Publicado em: 13 de Fevereiro de 2020
Foto Por: Letícia Queiroz/G1 Tocantins
Autor: G1 Tocantins
Fonte: G1 Tocantins
Corpo da vítima foi levado ao IML de Palmas

O comerciante José Orlando Gomes Tranqueira, de 45 anos, foi assassinado a facadas na madrugada desta terça-feira (11) dentro de casa na região sul de Palmas. De acordo com a Polícia Civil, o crime se trata de um latrocínio, que é roubo seguido de morte. José Orlando era dono de um bar e foi amarrado antes de morrer.

O crime aconteceu no jardim Aureny III e o homem morreu na residência que fica nos fundos do bar. Segundo o boletim de ocorrência feito após o assassinato, um enteado da vítima teria acordado volta de meia noite ao ouvir gritos do pai. Ao tentar socorrê-lo, o jovem encontrou dois homens no local e também foi imobilizado e amordaçado.

Neste momento, José Orlando teria se soltado e reagido. Ele lutou com um dos criminosos e foi golpeado várias vezes com uma faca, sofrendo perfurações no peito e na barriga. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado por volta das 00h50, mas ao chegar no local homem já estava sem vida.

De acordo com um familiar, José Orlando apenas trabalhava e não tinha envolvimento com nenhum tipo de crime. "Tinha muito sangue na casa. Parece que ele queria fugir do assassino. Ele passou por uma porta e morreu no quintal em cima de uns entulhos".

O local do crime foi periciado e o corpo do homem foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Palmas.

Até às 10h30 desta terça-feira (11) nenhum suspeito havia sido preso. A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Palmas informou que já abriu inquérito policial para apurar as causas do latrocínio e identificar autores.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.