Economista alerta para o risco de estocar comida e explica efeitos do coronavírus na economia

Corrida aos supermercados pode fazer preços subirem e prejudicar os menos favorecidos. Setores de turismo e comércio estão sendo afetados; veja dicas.

Publicado em: 24 de Março de 2020
Foto Por: Reprodução/TV Anhanguera
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Caixas de supermercado em Palmas atendendendo clientes

O medo da pandemia do coronavírus tem feito muitas pessoas correrem aos supermercados para estocar comida. A medida não é recomendada pelos especialistas, pois pode influenciar o preço dos produtos, além de prejudicar quem tem menos condição financeira.

 

Durante entrevista à TV Anhanguera, o economista Marcello Bezerra afirmou que o poder público dever tomar medidas de controle para evitar a corrida aos supermercados.

 

"Nós temos que pensar no próximo e nesse sentido não devemos comprar mais do que usamos no dia a dia. O estoque está controlado nos supermercados. Os governos têm que fazer algum tipo de controle para evitar excessos. [...] Vai prejudicar os menos favorecidos que não tem condição de fazer estoque", explicou.

 

Se não houver consciência da população, alguns produtos podem sofrer os mesmos efeitos do álcool em gel e das máscaras, que estão praticamente esgotados em Palmas. O Procon Tocantins, inclusive, precisou limitar a venda dos produtos.

 

Impactos econômicos

 

Segundo o economista, os setores de turismo e comércio devem ser os primeiros impactados pela pandemia do coronavírus. "Vão começar a sentir porque as pessoas não podem circular e não vão gerar renda", explicou.

 

"A catástrofe está instalada. Em curto prazo não vai ter solução do problema, a economia, em especial a brasileira, vai ser prejudicada mais ainda no que tange aos desempregados, vai aumentar o número. Então, a solução do problema só vai vir quando tiver a vacina do coronavírus, que isso vai demorar meses ou talvez até um ano. Antes disso, nós não podemos falar em economia no aspecto de retomada 100%."

 

Os microempreendedores e pequenos empresários devem ser muito afetados pela pandemia do coronavírus. O economista Marcello Bezerra deu uma dica para que eles tentem diminuir os prejuízos.

 

"A sugestão é que de alguma forma tente implementar o sistema delivery no produto que ele forneça. É uma forma de tentar minimizar o impacto nas suas vendas. Mesmo assim, de uma forma geral, as vendas vão estar reduzidas", afirmou.

 

Para a população em geral, a recomendação é diminuir o consumo. "Cortar gastos vai ser inerente. Evitar comprar coisas em geral. O que vai acabar acentuando, não porque nós queremos, mas porque a insegurança é muito grande nesses próximos meses", pontuou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.