Empresários reclamam da proibição de consumo de bebida alcoólica em bares e restaurantes de Palmas

Decreto da prefeitura proíbe o consumo em estabelecimentos comerciais e locais públicos de Palmas. Empresários afirmam que vendas nesses locais diminuíram.

Publicado em: 30 de Junho de 2020
Foto Por: Reprodução/TV Anhanguera
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Setor de bebidas em supermercado de Palmas

A proibição ao consumo de bebidas alcoólicas estabelecimentos comerciais e locais públicos de Palmas não está agradando os empresários da capital. A medida foi decretada pela prefeitura na semana passada para evitar aglomerações e prevenir a disseminação da Covid-19. Só que os comerciantes reclamam dos prejuízos.

 

O Neto Cabral é gerente de um restaurante que fica em um shopping da capital. Ele comenta que muitas refeições do estabelecimento estão ligadas à bebida alcoólica. Com a proibição, diz que as vendas diminuíram.

 

"Geralmente happy hour, final de tarde e expediente que o pessoal passa aqui para comer um petisco com a gente, comer um prato e às vezes tomar uma cervejinha, um drink. A proibição vai acabar inibindo as pessoas de virem consumir com a gente”, disse o empresário.

 

Apesar da proibição de consumo no local, a venda de bebidas alcoólicas continua liberada. Em uma distribuidora da capital o número de clientes diminuiu na venda no local, mas as vendas por delivery aumentaram em 25%.

 

“Hoje é a gente evitando aglomeração na nossa empresa, e é melhor a gente vender menos e continuar trabalhando do que vender muito e terminar precisando fechar as portas”, comentou o empresário Genivaldo Rocha.

 

Estabelecimentos que descumprirem o decreto de proibição de consumo no local podem sofrer punições administrativas, cíveis e criminais. Uma das penalidades é a cassação do alvará de funcionamento do local.

 

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Palmas, Joseph Madeira, questionou o novo decreto. Segundo ele, aqueles bares e restaurantes que seguiram as medidas de higiene e proteção contra a Covid-19 não deveriam sofrer com o novo decreto.

 

"A Prefeitura deveria fiscalizar e punir de forma eficaz aqueles estabelecimentos que efetivamente estão infringindo, e não aqueles que se esforçaram para cumprir as regras e que são maioria. Esses não deveriam ser punidos", disse.


O que diz a prefeitura

 

A Prefeitura de Palmas afirmou que tem atuado energicamente a fim de conter a proliferação do vírus na Capital. Com isso, uma das primeiras medidas a ser tomada pela gestão foi a ativação do Centro de Operações de Emergência em Saúde, o COE Palmas, que reúne-se constantemente para tomada de decisões do que se julga ser o melhor para todos dentro do contexto epidemiológico do município.

 

Segundo a prefeitura, a reabertura gradativa do comércio possibilitou a volta do funcionamento de distribuidoras de bebidas e lojas de conveniência, mas a medida também levou à aglomerações nestes locais.

 

“Sendo assim, com vistas a manter baixo o nível de contágio e segurança da população palmense, a gestão avaliou que a suspensão de consumo de bebidas alcoólicas em ambientes públicos, sejam em bares ou restaurantes, pode ser uma via assertiva”, diz nota do município.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.