MPE faz inspeção na rodoviária de Palmas e não encontra barreira sanitária funcionando

Barreira teria sido instalada no dia 1º de julho e deveria funcionar 24 horas. Medida é para ajudar no combate ao coronavírus em Palmas.

Publicado em: 09 de Julho de 2020
Foto Por: Reprodução/TV Anhanguera
Autor: G1 Tocantins
Fonte: G1 Tocantins
Rodoviária de Palmas com os terminais totalmente vazios

O Ministério Público informou ter realizado uma vistoria na rodoviária de Palmas para inspecionar o funcionamento da barreira sanitária que deveria estar funcionando no local. Só que os técnicos do MPE não encontraram nenhum fiscal no local e constataram que a barreira não estava funcionando.

 

A instalação da barreira foi recomendada pelos ministérios públicos Estadual, Federal e do Trabalho para ajudar no combate a pandemia de coronavírus na cidade, que continua tendo grande crescimento nos casos de Covid-19.

 

A inspeção do MPE ocorreu na sexta-feira (3), mas a informação de que a barreira não estaria funcionando só foi divulgada nesta quarta-feira (8).

 

Ainda segundo o MPE, comerciantes e funcionários da rodoviária informaram que os servidores da Vigilância Sanitária haviam permanecido no local até o meio-dia da sexta-feira e costumavam ficar no terminal apenas no período da manhã.

 

Só que a orientação dos órgãos de controle era para que a Prefeitura de Palmas e à Secretaria Municipal de Saúde estabelecesse um plantão da vigilância sanitária para funcionar 24 horas. A barreira sanitária deveria atuar na verificação das condições de saúde, triagem e prestação de orientações aos viajantes de regiões com casos confirmados da Covid-19.

 

De acordo com o último boletim epidemiológico de coronavírus da Secretaria Municipal de Saúde, Palmas tem 2.335 casos confirmados e 22 duas mortes em decorrência da doença.

 

No começo de julho a Prefeitura de Palmas informou que a barreira funcionaria entre os dias 1º e 30 de julho. O MPE informou ainda que o relatório da vistoria será encaminhada aos órgãos que tinham recomendado a barreira sanitária para que medidas legais sejam tomadas.

 

O que diz a prefeitura

 

A Secretaria Municipal da Saúde (Semus) informou, em nota, que se comprometeu a promover ações de monitoramento dos casos suspeitos de Covid-19, ações informativas e de orientação aos passageiros, motoristas e trabalhadores do local no período de maior movimentação, de acordo com dados repassados pela Loja Maçônica de Palmas, que é responsável pela administração da rodoviária.

 

Ainda segundo o município, os dados repassados pela Loja mostraram que o período de maior movimentação no terminal é das 7h30 às 12h, razão pela qual a Vigilância Sanitária de Palmas (Visa) está realizando as ações da barreira sanitária neste intervalo de tempo.

 

"A Visa está acompanhando diariamente o fluxo de passageiros na rodoviária e, caso aumente em outros horários, as ações poderão ser estendidas para os períodos vespertino e noturno, conforme a necessidade", diz o município

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.