Amastha desmente fake new

Nos últimos dias as criações de fatos inverídicos contra Amastha tem se intensificado, inclusive com postagens patrocinadas nas redes sociais para que as mentiras alcancem maior repercussão.

Publicado em: 30 de Janeiro de 2018
Foto Por: Divulgação
Autor: Ascom
Fonte: Ascom

Em vídeo publicado em seus perfis nas redes sociais, o prefeito de Palmas e pré-candidato ao governo do Estado pelo PSB, Carlos Amastha, desmentiu uma série de inverdades publicadas também nas mídias sociais e até na imprensa. 

 O departamento jurídico do PSB tomará as providências contra os responsáveis.

As mentiras são criação da velha política do Tocantins que, declaradamente, se une para vencer Amastha, que representa uma nova forma de gerir o Estado do Tocantins. 

"Continuem procurando", desafia Amastha, ao reafirmar que não encontraram nenhuma irregularidade.

Nos últimos dias as criações de fatos inverídicos contra Amastha tem se intensificado, inclusive com postagens patrocinadas nas redes sociais para que as mentiras alcancem maior repercussão. 

O departamento jurídico do PSB tomará as providências contra os responsáveis.

A primeira informação inverídica abordada pelo prefeito se refere a cessão de policiais militares à disposição da gestão municipal. 

"Quatro PMs que prestam serviços à população palmense e não ao prefeito de Palmas. Coisa diferente àquilo a que me referi", disse Amastha.

As fakes news surgiram após Amastha falar, em Araguaína, que se for eleito governador dispensará segurança particular. 

"Policial é para cuidar da população e não de político", disse o prefeito.

Outro fato inverídico desmentido por Amastha é em relação à dívidas de IPVA de um veículo. 

Postagens em redes sociais têm levado essa informação, também falsa. 

Amastha confirmou que o veículo não pertence mais a ele.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.