Cinco dos 11 congressistas vão a solenidade com ministro; para Palácio, não houve boicote, mas ausência da oposição ao governo

Publicado em: 30 de Junho de 2020
Foto Por: Secom TO
Autor: Cleber Toledo 
Fonte: Cleber Toledo 
Ministro Rogério Marinho (na ponta à esq.) com governador Carlesse, senador Gomes e deputados

Dos 11 membros da bancada federal, quatro deputados federais um senador foram à solenidade simbólica de entrega de 231 máquinas pesadas ao governo do Tocantins pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Os outros seis não compareceram à solenidade.

 

Presenças

Participaram o senador Eduardo Gomes (MDB) e os deputados federais Eli Borges (SD), Osires Damaso (PSC), Tiago Dimas (SD) e Carlos Gaguim (DEM). Com exceção de Dimas, os demais são próximos do Palácio Araguaia.

 

Adversários do Palácio

Os outros todos estão afastados ou são adversários do governo Mauro Carlesse (DEM): senadores Kátia Abreu (Progressistas) e Irajá Abreu (PSD) e os deputados Célio Moura (PT), Vicentinho Júnior (PL), Dorinha Seabra Rezende (DEM) e Dulce Miranda (MDB).

 

Não houve boicote

Para o Palácio, não houve boicote desses parlamentares porque a ausência deles já era esperada, já que fazem oposição ao governo Carlesse.

 

Ex-parlamentares

Representantes do governo ressaltaram que as máquinas que estão sendo entregues contaram com o trabalho de ex-parlamentares muito próximos ao Palácio Araguaia, como Lázaro Botelho (Progressistas) e César Halum (Republicanos), que também participaram da solenidade.

 

Atrapalhar o Estado

Palacianos ainda criticaram a medida de Kátia e parlamentares de oposição de irem à Procuradoria-Geral da República contra a entrega de maquinário. “Queriam lá atrás que fizéssemos a licitação de 53 itens, quando reduzimos para 15 para agilizar a licitação. Fizemos licitação, não tomada de preço tudo regular, e agora tentam a PGR. A missão de alguns parece que é atrapalhar o Estado”, criticou a fonte.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.