Diretório do PSB em Lajeado é destituído após prefeito trocar o partido pelo MDB

O prefeito de Lajeado, Antônio Luiz Bandeira Junior, o Junior Bandeira, deixou o PSB no início de abril e se filiou ao MDB para concorrer à reeleição no município.

Publicado em: 15 de Agosto de 2020
Foto Por:  Reprodução
Autor: T1 Notícias
Fonte: T1 Notícias

 

A direção estadual do PSB Tocantins, através do presidente e ex-prefeito de Palmas Carlos Amastha, informou, nesta quarta-feira, 29,  que decidiu pela dissolução do diretório do PSB de Lajeado. A decisão foi motivada pela saída do prefeito da cidade, Júnior Bandeira, do partido, onde ocupava o cargo de presidente do diretório municipal.


 

Conforme o diretório estadual do partido, o PSB tomou essa decisão após contribuir com recursos humanos e a destinação de um investimento no valor de R$ 90 mil reais do fundo partidário para a eleição do prefeito, que após eleito deixou o partido sem sequer comunicar oficialmente a direção estadual.


 

Além dos pontos citados acima, o diretório estadual considera que a gestão de Lajeado não está em acordo com as diretrizes do PSB, “que tem o compromisso com as políticas públicas, o investimento em saúde, educação, juventude e empreendedorismo, e a valorização das pessoas – compromissos assumidos pelo então candidato Junior Bandeira e que levaram o presidente do PSB Tocantins, Carlos Amastha, e o presidente do PSB Palmas, Tiago Andrino, a caminhar de porta a porta em Lajeado, pedindo votos para Junior”.


 

MDB 


 

O prefeito de Lajeado, Antônio Luiz Bandeira Junior (MDB), o Junior Bandeira, deixou o PSB no início de abril e se filiou ao MDB para concorrer à reeleição no município. 

 

Bandeira foi eleito em dezembro do ano passado, em eleição suplementar, após o prefeito da cidade Tércio Dias Melquiades Neto (PSD) ser cassado por supostas irregularidades na última campanha eleitoral.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.