Dulce indica ex-prefeito Eurivaldo Gomes para comandar o MDB de Tocantinópolis; ele é aliado do presidente destituído

Publicado em: 06 de Agosto de 2020
Foto Por: Reprodução YouTube
Autor: Cleber Toledo 
Fonte: Cleber Toledo 
Eurivaldo Gomes: ex-prefeito e pré-candidato do MDB em Tocantinópolis

A deputada federal Dulce Miranda indicou para comandar o diretório do MDB de Tocantinópolis o pré-candidato e ex-prefeito Eurivaldo Gomes, aliado do presidente destituído no dia 24 de junho, o advogado Eduardo Bandeira de Melo Queiroz, que ainda ficou como membro da comissão indicada pela parlamentar.

 

Venceu a queda-de-braço

Os deputados estaduais Jair Farias e Valdemar Júnior também queriam participar da escolha, mas Dulce insistiu que a indicação seria dela e venceu a queda-de-braço.

Indicações na comissão

Conforme a Coluna do CT apurou, são indicações de Dulce o presidente Eurivaldo e os membros da nova comissão Mardonio Vilanova Queiroz e Patrícia do Egito Araújo. Valdemar indicou o presidente destituído, Eduardo Bandeira de Melo Queiroz; e Jair, outro membro, o vereador Marcio Kley Soares Brandão.

 

Irregularidades no processo de eleição do diretório

A executiva regional do MDB destituiu por 3 votos a 2 o diretório de Tocantinópolis, presidido pelo advogado Eduardo Bandeira de Melo Queiroz. A decisão foi com base no requerimento protocolado pelo delegado à Convenção Estadual, Marcello Resende Queiroz Santos, e pela emedebista da cidade Adalgiza Maria Queiroz Santos. Eles apontaram supostas irregularidades no processo de eleição do diretório do município. Entre elas, o descumprimento do prazo para publicar a convocação para a convenção municipal, que ainda teria sido realizada “de forma clandestina”. Além disso, o diretório é quase todo composto por familiares do agora ex-presidente: pais, tios e primos.

 

Reviravolta racha oposição

O MDB de Tocantinópolis passou por uma reviravolta que rachou a oposição ao prefeito Paulo Gomes (PSD). Eurivaldo rompeu o acordo que havia feito em fevereiro com o outro nome do campo oposicionista, Salomão Barros (SD). Com mediação dos deputados estaduais emedebistas Valdemar Júnior e Jair Farias, o acordo propunha que Eurivaldo e Salomão se filiariam ao MDB e quem estivesse à frente próximo às convenções encabeçaria a chapa e o outro seria vice. “Queriam me dar uma rasteira”, disse, porém, Eurivaldo à Coluna do CT em junho.

 

Quer isolá-lo

Para ele, o grupo de Salomão queria isolá-lo, assim, o MDB achou por bem romper. Salomão, então, foi desconvidado pelo diretório de Tocantinópolis e acabou se filiando ao Solidariedade, do deputado estadual Vilmar de Oliveira.

 

Dividir a oposição

Já o ex-emedebista e vereador Elson Ribeiro (PSC) acusa Eurivaldo de estar sob a influência do ex-deputado estadual José Bonifácio, pai do prefeito Paulinho Gomes, para dividir a oposição. Ribeiro afirmou que a virada de mesa fez com que ele deixasse o MDB. “Paulinho não se elege se a oposição estiver unida e, por isso, estão agindo para rachá-la”, avaliou o vereador, também no início do mês.

 

A comissão indicada:

Exercício de 3.8 a 3.12.2020

Presidente: Eurivaldo Gomes
Tesoureira: Patrícia do Egito Araújo

Membros da comissão

Eduardo Bandeira de Melo Queiroz
Marcio Kley Soares Brandão
Mardonio Vilanova Queiroz

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.