Frigoríficos voltam a insistir com Carlesse em alíquota de 1,8% de ICMS; Fazenda quer 4,5%

Publicado em: 14 de Janeiro de 2021
Foto Por: Secom TO
Autor: Cleber Toledo
Fonte: Cleber Toledo
No sentido horário, Tom Lyra, Sandro Armando, Carlesse, Celso Morais e Wesley Lopes

Os frigoríficos do Tocantins voltaram a pedir ao governador Mauro Carlesse (DEM), nessa quarta-feira, 13, que a alíquota do ICMS para o setor seja de 1,8%, enquanto a Secretaria Estadual da Fazenda insiste em 4,5%. Hoje está em 1,2%. A discussão é antiga. Começou em outubro de 2019, quando o governo do Estado suspendeu os Termos de Acordo de Regimes Especiais (Tare) que concedia incentivos fiscais à categoria.

 

TO fica em desvantagem

Naquela época, os frigoríficos já diziam que aceitavam o 1,8%, mas avaliava os 4,5% inviáveis. O 1,2% do Tocantins é uma das menores alíquotas dos Estados vizinhos. Mas se for para 4,5%, avaliam os frigoríficos, colocará as empresas tocantinenses em situação de desvantagem em relação aos demais Estados.

 

Diretor do Plena

Quem reforçou a proposta de 1,8% a Carlesse nessa quarta-feira foi o diretor comercial do Frigorífico Plena, Wesley Lopes. Ele acompanhou o prefeito de Paraíso, Celso Morais (MDB), e a vice-prefeita Raquel Ogawa (MDB) em audiência com o governador.

 

Os envolvidos

Os dois secretários diretamente envolvidos na área participaram da audiência, Sandro Henrique Armando (Fazenda) e Tom Lira ( Indústria, Comércio e Serviços), além do chefe de Gabinete do Governador, Sebastião Albuquerque. O governador ficou de estudar o caso.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.