Governo do Estado lança Mutirão de Negociação Fiscal no próximo dia 5 de março

Publicado em: 24 de Fevereiro de 2018
Foto Por: João Di Pietro/Governo do Tocantins
Autor: Arlete Carvalho/Governo do Tocantins
Fonte: Ascom

O Governo do Estado vai ofertar mais uma oportunidade aos contribuintes em débito com a receita estadual e já em fase de execução fiscal. Trata-se do Mutirão de Negociação Fiscal da Secretaria da Fazenda (Sefaz), em parceria com o Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO) e a Conselho Nacional de Justiça (CNJ). De 5 a 11 de março próximo, oito mil contribuintes, que já foram intimados pela Central de Execução Fiscal, serão esperados no Espaço Cultural de Palmas para audiências de conciliações e negociações, no horário de 8 às 18 horas, inclusive  no sábado  e domingo.

As regras do Mutirão são as mesmas do Refis 2018, instituído pela lei 3.346/2018,  e são compostas de medidas incentivadoras à quitação de débitos com a Fazenda Pública, como os de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Imposto sobre Transmissão Causa Mortis ou Doação (ITCD) e créditos não tributários. À regularização de créditos, está prevista a redução de multas, inclusive de caráter moratório, de até 90% de desconto nos pagamentos à vista. Em caso de parcelamento, o desconto poderá ser de até 85%, podendo ser dividido em até 120 parcelas mensais iguais e sucessivas, com exceção da primeira parcela que terá valor diferenciado conforme cálculos da Sefaz.

Paralelo ao Mutirão, que é destinado aos contribuintes já em execução  judicial, continuam as negociações para aqueles que desejam aderir ao Refis 2018. Entretanto, todos os atendimentos, Refis e Mutirão, vão acontecer, exclusivamente, no Espaço Cultural de Palmas.

Até o próximo dia 2 de março as negociações do Refis podem ser feitas em qualquer Agência de Atendimento da Secretaria da Fazenda, podendo o contribuinte procurar aquela que lhe for mais conveniente. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.