João da Farmácia é o candidato do PT à Prefeitura de São Miguel do Tocantins

Publicado em: 16 de Setembro de 2020
Foto Por: Divulgação
Autor: Ascom
Fonte: Ascom
João da Farmácia e Waldilene

O Partido dos Trabalhadores (PT) de São Miguel do Tocantins definiu João da Farmácia como candidato à Prefeitura e ao seu lado Waldilene Fragoso vai concorrer ao cargo de vice-prefeita.

 

A Convenção Municipal aconteceu neste domingo, 13, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais e referendou a chapa petista para a disputa majoritária e 10 candidatos à Câmara de Vereadores.
 

A Coligação "Governar Para Todos" surge como alternativa para os trabalhadores de São Miguel do Tocantins e de acordo com o candidato escolhido, João da Farmácia, esse "é um grande passo para buscar uma representação, que garanta a inserção dos excluídos, no orçamento da cidade e assim atender às demandas do povo trabalhador de São Miguel".
 

O presidente do PT Tocantins, deputado estadual Zé Roberto, lembra que mais de 48% da população de São Miguel vive com até meio salário  mínimo e por isso avalia que "o grupo petista forma uma frente democrática, que está pronta para cuidar das pessoas da cidade e atender as demandas de todos e todas, que mais precisam de atenção".

 

Candidato

 

João Nascimento da Silva é natural de Balsas (MA), mas viveu em Fortaleza dos Nogueira até seus 20 anos. Filho de camponeses, começou a trabalhar cedo, mesmo com as dificuldades de se estudar no campo, ele conseguiu concluir o período escolar e a veia empreendedora o fez empreender em São Miguel do Tocantins, onde se firmou, construiu sua vida e hoje tem o seu negócio consolidado na cidade.

 

"Comecei pequeno, com mil reais, e hoje tenho orgulho de ter a minha farmácia e além de garantir o sustento, contribuir para o desenvolvimento do nosso município", pontuou o candidato petista.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.