Justiça decide anular eleição da mesa diretora da Câmara de Almas após vereador foragido enviar representante para assumir cargo

Segundo a decisão, a anulação é por conta da "existência de irregularidades ocorridas na sessão".

Publicado em: 13 de Janeiro de 2021
Foto Por: Reprodução/TV Anhanguera
Autor: G1 Tocantins
Fonte: G1 Tocantins
Vereador Marcão da Caçamba está sendo procurado pela polícia

A Justiça decidiu anular a eleição da mesa diretora da Câmara de Almas, na região sudeste do Tocantins. Isso porque o parlamentar reeleito Narciso Marcos Borges (MDB), que é alvo de um mandado de prisão por extorsão e está foragido da polícia, enviou um representante com uma procuração para assumir o cargo no dia 1º de janeiro.

 

A anulação é por conta da "existência de irregularidades ocorridas na sessão". Além de tomar posse no lugar do vereador foragido, José Junior Gonçalves participou da votação para escolha da mesa diretora e foi decisivo no resultado.

 

A situação causou revolta na chapa derrotada, que entrou na Justiça para tentar cancelar a sessão.

 

Por telefone, a presidente da câmara de Almas, Karla Taianna, disse que ainda não foi notificada da decisão. O G1 tenta contato com o prefeito Vaguinho (MDB) e com a Prefeitura da cidade.

 

A Polícia Civil informou na tarde desta segunda-feira (11) que ainda "não conseguiu efetuar o cumprimento do mandado de prisão em aberto contra o vereador que permanece foragido".

 

Narciso Marcos, conhecido como Marcão da Caçamba, é o vereador que se envolveu em uma polêmica no dia das Eleições de 2020. Conforme divulgado pela polícia na época, dois moradores da cidade fizeram uma aposta sobre o resultado da votação para vereador.

 

O eleitor que apostou em Marcão da Caçamba venceu a disputa, mas como o amigo não quis pagar o valor combinado, o vencedor chamou o próprio vereador para ajudar a cobrar a dívida.

 

O homem de 45 anos que tinha feito a aposta foi preso por extorsão. Ele confessou o crime e disse que iria dividir o dinheiro com o parlamentar. Marcão da Caçamba teve o mandado de prisão decretado em dezembro e ainda não foi localizado.

 

Ele é vereador em Almas desde 2012 e foi reeleito nas últimas eleições, com 238 votos, para exercer o terceiro mandato consecutivo. O G1 não conseguiu contato com a defesa do parlamentar.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.