Quarta - Feira,
14 de Abril de 2021

Kátia diz que sistema de governo da China não diz respeito ao Brasil e que Ernesto Araújo precisa repensar conceitos ideológicos

Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Kátia Abreu

Autor: Cleber Toledo

Fonte: Cleber Toledo

Publicado em 01 de Março de 2021 (Atualizado Há 2 meses atrás)

Legenda: Sem Legenda

Autor da Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

A senadora Kátia Abreu (PP), eleita nesta semana presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado, defendeu em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo que o chanceler Ernesto Araújo precisa repensar seus conceitos ideológicos e que não cabe ao governo brasileiro opinar sobre o sistema de governo na China. “O ministro Ernesto deve ter as suas qualidades, ou não teria sido escolhido para o Itamaraty. Eu só acho que [ele] precisa repensar a respeito desses conceitos ideológicos”, disse Kátia.

 

Não diz respeito ao Brasil

Para a senadora tocantinense, Araújo, que tem um histórico de choques com a China, precisa abandonar a retórica de confrontação com a ditadura comunista.

 

“O sistema de governo chinês não me diz respeito. O Brasil é um vendedor, um comerciante de produtos agropecuários e de tantos outros. Não estamos lá para discutir isso [o sistema político da China]”, afirmou Kátia. “Queremos provar que nosso produto é bom, que tem consistência e que temos condições de entregar.”

 

O primeiro a cumprimentar

Folha destacou também que o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, foi o primeiro a cumprimentar a senadora pela eleição para a presidência da Comissão de Relações Exteriores no Senado. De acordo com o jornal, Kátia é uma das parlamentares que mantêm melhor relação com governo chinês.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários