Sábado,
18 de Setembro de 2021

Numa indireta a Bolsonaro, ministro Barroso diz que discurso de ‘se eu perder houve fraude’ é de quem não aceita a democracia”

Autor: Cleber Toledo

Fonte: Cleber Toledo

Publicado em 30 de Julho de 2021 (Atualizado Há 2 meses atrás)

Legenda: Presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso

Autor da Foto: Carlos Moura/STF

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, afirmou nesta quinta-feira, 29, numa indireta ao presidente Jair Bolsonaro, que o discurso de “se eu perder houve fraude” é um discurso de quem “não aceita a democracia”. Isso porque, defendeu, o atual sistema consagra a democracia, já que permite a alternância de poder. O magistrado lembrou que jamais foi documentado um episódio de fraude nas eleições realizadas com as urnas eletrônicas.

Provas de fraude

A informação é do jornal O Globo, que lembrou que as falas do ministro ocorrem no mesmo dia em que Bolsonaro prometeu revelar, em sua live semanal, supostas “provas de fraude” na contagem de votos do segundo turno da eleição presidencial de 2014, quando Dilma Rousseff (PT) foi reeleita, vencendo Aécio Neves (PSDB).

Conspiração de muitos

Barroso ressaltou que, em 2014, o PSDB de Aécio pediu auditoria do sistema, que foi feita, e o próprio candidato reconheceu que não houve fraude. “Isso não aconteceu. Nunca se documentou, por que o dia que se documentar, o papel da Justiça Eleitoral é imediatamente apurar. Uma fraude exigira que muita gente no TSE estivesse comprometida. Ia ser uma conspiração de muita gente. Não há precedente e não há razão para se mexer num time que está ganhando”, afirmou o ministro.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários