Pré-candidato, Barbiero compara gastos de Palmas com Covid-19 e avalia que “dava para fazer mais”: “Falta visão e planejamento”

Publicado em: 20 de Julho de 2020
Foto Por: Divulgação/Ascom
Autor: Cleber Toledo
Fonte: Cleber Toledo
Pré-candidato a prefeito de Palmas pelo Podemos, Alan Barbiero

Pré-candidato a prefeito de Palmas, Alan Barbiero (Podemos) voltou à carga contra a atual administração ao comentar os gastos do Paço durante a pandemia. O político fez um levantamento das despesas para o combate a Covid-19 de Palmas com os de outros municípios e defendeu que o orçamento poderia ter sido melhor utilizado pela prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB). A Capital já teria empenhado R$ 14,46 milhões, mas sem apresentar qualquer ação estrutural, critia.

 

Comparação

Barbiero lista que Macapá (AP), com 500 mil habitantes, empenhou R$ 11,11 milhões e possui uma carreta para combate à Covid-19 e uma unidade específica para atendimento a pacientes. O pré-candidato também comenta sobre Boa Vista (RR), que com 375 mil habitantes, gastou R$ 17,5 milhões e promoveu pavimentação de um hospital de campanha construído pelo Exército e contratou 150 profissionais. Porto Velho, de 530 mil habitantes, também é lembrada por gastar R$ 12,08 milhões e garantir dois centros de atendimento exclusivos para tratar contaminados.

 

Bom desempenho no isolamento, mas faltou preparar sistema de saúde

Na avaliação de Barbiero, tais cidades conseguiram fazer investimentos estruturais, diferente da Capital. “No nosso entendimento, Palmas teve bastante dinheiro, trabalhou razoavelmente bem a questão do isolamento social para o achatamento da curva, mas faltou preparar o sistema para o aumento de casos, que está acontecendo agora”, destacou o pré-candidato do Podemos.

 

Gerida por Podemos, Araguaína é bom exemplo

Gerida pelo presidente do Podemos no Tocantins, Ronaldo Dimas, Araguaína também foi citado como bom exemplo por Alan Barbiero. O município teria empenhado R$ 9,22 milhões, mas já montou um hospital de campanha e uma unidade exclusiva para tratamento de pacientes. “O que vemos é que cidades com dinheiro semelhante, algumas um pouco mais, outras um pouco menos, reforçaram a sua rede de atenção, deram estrutura e aumentaram a capacidade de atender mais pessoas. Entendo que faltou esse trabalho em Palmas”, frisou Alan Barbiero.

 

Legado

Alan Barbiero defende que investimentos estruturais têm que ser prioridade para que se possa deixar um legado para o sistema de saúde.  “Em Palmas tivemos praticamente 100% dos R$ 14,5 milhões aplicados em custeio. Temos exemplos positivos da aplicação de recursos destinados ao combate da Covid 19, como em Araguaína e outras, que a estrutura montada vai ficar para atender a saúde pública no pós-pandemia. Precisamos resolver o problema atual, mas também agregar benefícios para a população no pós-pandemia”, disse o pré-candidato.

 

 Recurso há, falta visão

Apesar de dizer ser cauteloso ao comentar a atuação do Paço, Alan Barbiero encerra com duras críticas a gestão da prefeita Cinthia Ribeiro na pandemia. “Eu tenho muito cuidado para pontuar as minhas ressalvas, pois quem está trabalhando, acredito, busca fazer o melhor. No entanto, no caso em questão creio que dava para fazer mais com o dinheiro disponível. Recurso há, falta visão e planejamento para investir naquilo que é o mais importante”, destacou Alan Barbiero.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.