STF arquiva inquérito da Polícia Federal contra deputado Vicentinho Júnior: “Lavo minha honra”

Publicado em: 06 de Agosto de 2020
Foto Por: Divulgação
Autor: Cleber Toledo
Fonte: Cleber Toledo
Vicentinho Júnior é mais uma opção para a disputa pelo Paço da Capital

Decisão do ministro do Supremo (STF) Luís Roberto Barroso desta terça-feira, 4, arquivou um inquérito da Polícia Federal (PF) aberto contra o deputado federal Vicentinho Júnior (PL), que é pré-candidato a prefeito de Palmas. Conforme o parlamentar, o magistrado entendeu que não haver elementos que justifiquem o prosseguimento do caso.

 

Lavo minha honra

Em material enviado à imprensa, Vicentinho Júnior comemorou a decisão de Barroso. “Com o arquivamento do processo por falta de provas, lavo minha honra e preservo meu nome para que todas as pessoas do Tocantins saibam que é possível estar na política e trabalhar de forma correta”, disse. 

Processo antecipado por Gaguim

Conforme o parlamentar, a decisão do Supremo arquiva inquérito nascido por meio de carta anônima enviada à Secretaria de Segurança Pública (SSP), que, por sua vez, encaminhou à PF. A denúncia também teria sido antecipada pelo deputado federal Carlos Gaguim, conforme garantiu Vicentinho Júnior. Os dois protagonizaram uma feia discussão em uma reunião de bancada, quase chegam a trocar tapas, segundo relatos.

 

Perseguição

O parlamentar voltou a afirmar que o processo foi mais uma manobra para constrangê-lo e silenciá-lo.  “A maldade nunca prevalecerá sobre um trabalho bem feito. Ao contrário do que gostariam este tipo de perseguição me dá mais forças para enfrentar as mazelas que testemunhamos em nosso Estado. Um dia feliz que reforça o que disse quando protocolei a solicitação que continuassem a investigar minha trajetória, meu trabalho, pois conheço os meus atos e sei da integridade de cada um deles”, conta Vicentinho Júnior.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.