Domingo,
24 de Outubro de 2021

Covid-19: 70% das mortes nos últimos três meses são de pessoas que não vacinaram ou deixaram de tomar a segunda dose

Levantamento foi feito pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Em todo o estado 114.139 pessoas não retornaram para completar o processo de imunização contra o coronavírus.

Autor: g1 Tocantins

Fonte: g1 Tocantins

Publicado em 09 de Outubro de 2021 (Atualizado Há 2 semanas atrás)

Legenda: Vacina contra a Covid-19

Autor da Foto: Raiza Milhomem/Prefeitura de Palmas

Um levantamento divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), na tarde desta sexta-feira (8), apontou que 70% das mortes por Covid-19 registradas nos últimos três meses no Tocantins são de pessoas que não se vacinaram ou deixaram de completar o esquema de vacinação com as duas doses. Os números destacam a importância da vacinação contra Covid-19 para o combate à pandemia.

Entre julho e setembro foram 329 mortes por Covid registradas no estado. De acordo com os números do Centro de Informações e Decisões Estratégicas em Saúde (Integra), 177 não tinham tomado nenhuma dose das vacinas disponíveis. Outros 54 não voltaram para receber a segunda dose e concluir o esquema de vacinação.

“Os números são claros e não podemos fugir a eles: as mortes por Covid-19 estão intrinsecamente ligadas ao processo vacinal. Por isso, é tão importante que a população compareça às unidades de saúde e sejam imunizados. Vale destacar que é imprescindível que se tome as duas doses para que o esquema vacinal seja completo e haja maior eficiência do imunizante”, disse o secretário de saúde Edgar Tollini.

Faltosos

Em todo o estado 114.139 pessoas não retornaram para completar o processo de imunização contra o coronavírus. Destas 27.689 deveriam ter tomado CoronaVac, 65.199 AstraZeneca e 21.251 Pfizer.

A orientação da SES é para que os municípios trabalhem estratégias para atrair os públicos e aumentar o percentual de aplicação da segunda dose. Em Araguaína, por exemplo, um mutirão de vacinação está sendo iniciado nesta sexta-feira (8) com atendimento noturno. A cidade também reduziu o intervalo de aplicação da Pfizer para 21 dias.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários