Novo coronavírus usa enzima em "camuflagem" que permite enganar células durante invasão, aponta estudo

Artigo na Nature Communications explica que vírus usa enzima para modificar seu próprio material genético e não ser reconhecido como um corpo estranho pelas células humanas. Mapeamento da estrutura pode ajudar em tratamentos contra a Covid-19.

Publicado em: 24 de Julho de 2020
Foto Por: Nature Communications/Reprodução
Autor: G1
Fonte: G1
Estrutura de enzimas produzidas pelo Sars CoV-2

Um estudo publicado nesta sexta-feira (24) pela "Nature Communications" mostra o trabalho de pesquisadores que conseguiram desvendar uma enzima importante para o Sars CoV-2: com a ajuda dela, o vírus consegue fazer alterações genéticas e não ser rastreado como um invasor, uma espécie de camuflagem contra o sistema imunológico.

 

A descoberta do mecanismo usado pelo vírus para não ser reconhecido pode ajudar no desenvolvimento de novos medicamentos contra a Covid-19, dizem os autores. De acordo com Yogesh Gupta, principal pesquisador pelo Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas em San Antonio (UT Health San Antonio), eles analisaram a estrutura da enzima nsp16, que o vírus produz para modificar o seu RNA mensageiro.

 

"É uma camuflagem", disse Gupta. "Por causa das modificações, que enganam a célula, o RNA mensageiro do vírus é considerado parte do código da célula, não um estranho", explicou.

 

Os cientistas acreditam que desvendar a estrutura em três dimensões da nsp16 pode ajudar na produção de medicamentos, já que outras moléculas pequenas já foram encontradas pela ciência e conseguiram inibir a ação da enzima. Desta forma, o sistema imunológico atacaria diretamente o vírus invasor.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.