Saiba como o cigarro eletrônico pode afetar os pulmões

Três casos de Evali – uma doença no pulmão, relacionada ao uso do cigarro eletrônico – foram confirmadas no Brasil.

Publicado em: 12 de Dezembro de 2019
Foto Por: Arte/TV Globo
Autor: G1 — São Paulo
Fonte: Bem estar
Cigarro eletrônico queima o pulmão

O cigarro eletrônico está cada vez mais popular no Brasil. Entretanto, muita gente não sabe que ele quais os riscos que podem estar associado ao uso. Só nos Estados Unidos, são 48 mortes associadas ao uso do cigarro eletrônico e quase 2.300 internações.

Substância usada para diluir maconha é apontada como responsável por doença do cigarro eletrônico

Cigarro eletrônico com maconha: mais uma complicação

No Brasil, três casos de EVALI, uma doença no pulmão, relacionada ao uso de cigarro eletrônico, foram confirmadas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), os pacientes usaram cigarro eletrônico com tetraidrocanabinol (THC) em dispositivos adquiridos nos EUA.

 

Os sintomas respiratórios da EVALI podem ser confundidos com uma gripe. São eles: tosse, falta de ar, dor no peito, dor abdominal, febre, calafrios.

 

Os médicos alertam que, se tiver estes sintomas, a pessoa precisa procurar ajuda e nunca esconder o uso de cigarro eletrônico.

 

Cigarro eletrônico e pulmão

 

O vapor do cigarro eletrônico e as substâncias tóxicas que ele contém queimam a membrana dos pulmões, prejudicando a troca gasosa de oxigênio por CO2. Essa troca é fundamental para manter as células vivas. Sem oxigênio, elas morrem.

 

Segundo a cardiologista Jaqueline Scholz, acredita-se que os danos do cigarro eletrônico sejam atualmente maiores devido à potência dos novos vaporizadores.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.