Sábado,
25 de Junho de 2022

Administração realiza palestra sobre Campanha de Conscientização e Prevenção ao Assédio e Discriminação no Serviço Público

Evento visa fomentar a discussão acerca do tema e informar sobre atitudes a serem combatidas e denunciadas

Autor: George Hallan e Nájilla Lopes/Governo do Tocantins

Fonte: Ascom

Publicado em 22 de Junho de 2022 (Atualizado Há 3 dias atrás)

Legenda:  Gestores e servidores do Poder Executivo Estadual participaram nesta terça-feira, 21, da palestra sobre conscientização e prevenção contra o assedio e discriminação no local de trabalho

Autor da Foto: Angélica Lima/Governo do Tocantins

A manhã desta terça-feira, 21, foi marcada pela palestra da professora Cheila Marina de Lima, especialista em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde, voltada para o tema principal abordado na Campanha de Prevenção ao Assédio e Discriminação no ambiente de trabalho, que aconteceu no auditório do Quartel do Comando Geral da Polícia Militar.

O evento faz parte da programação da Campanha Ampare, desenvolvida pela Secretaria de Estado da Administração (Secad), em conjunto com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Controladoria Geral do Estado (CGE), que tem como principal objetivo, não somente discutir meios de punição, mas também desenvolver políticas de prevenção e, sobretudo, promover a conscientização da necessidade de um ambiente de trabalho saudável e confortável aos servidores, para o bom funcionamento do serviço público.

O secretário da Administração, Paulo César Benfica, deu início ao debate expondo a importância de uma campanha inclinada a este tema, dentro da agenda da Administração. "Acredito que a ideia primordial dessa Campanha é sim promover um ambiente de trabalho adequado e agradável aos servidores, mas como Gestor, devo entender que não devemos tirar as responsabilidades das instituições e entidades públicas, perante esta temática extremamente relevante, por isso devemos abrir espaços para que sejam discutidos meios de denúncias, mas também de prevenção para que possamos alcançar resultados positivos" destaca.

"A discriminação, bem como, o assédio, seja ele moral ou sexual estão enraizados em nossa sociedade e por este motivo, acaba refletindo no ambiente de trabalho, então, dentro deste cenário pensamos na construção da Campanha Ampare, para que pudéssemos debruçar sobre o tema, educar os nossos servidores, discutir meios de identificar estes sinais de ambientes de trabalho tóxicos, para que assim possamos conseguir agir efetivamente antes do assédio e discriminação acontecerem" salientou o secretário executivo, Rodrygo Ayres.

Cheila Marina falou sobre a importância de ser falado sobre isso diretamente entre gestores e servidores, pois geralmente, contém hierarquia de poder nessas situações de assédio, que acaba por afetar a dignidade e autoestima das vítimas. "O desenvolvimento de atividades e campanhas voltadas à conscientização e prevenção ao assédio e discriminação é extremamente necessário porque é através da educação que melhores resultados serão alcançados, infelizmente, sabemos que esse tipo de situação vai estar sempre presente nos âmbitos de trabalho, mas trazer este assunto à tona, dar voz e acolhimento às vitimas é um passo gigantesco de relevância imensurável, por ser algo que afeta psicologicamente e, até mesmo, fisicamente as pessoas que sofrem com isso" ressaltou.

Mesa Redonda

O psicólogo da Junta Médica do Estado (JMOE), Flávio Alexandre, explicou sobre os transtornos psicológicos advindos dessas atitudes abusivas dentro do local de trabalho, onde servidores são expostos às situações de humilhação de forma constante. O profissional expôs ainda, que grande parte das licenças deferidas entre os servidores são por conta de traumas psicológicos referentes ao próprio âmbito de trabalho. "Os gestores precisam realmente trabalhar em ações de prevenção ao assédio, porque por muitas vezes, a vítima não torna isso evidente, mas está psicologicamente e emocionalmente abalada e isso começa a afetar o seu desempenho enquanto servidor", frisou.

Harine Cecchin, presidente da Comissão da Mulher Advogada OAB/Tocantins, destacou a importância da denúncia por meios legais, diante de situações de assédio e discriminação e declarou total apoio, com relação à informação e total suporte nas ações de prevenção. "Acredito que caiba a cada órgão implementar mecanismos para prevenir e, até mesmo, combater qualquer tipo de ação que afete ou desrespeite o outro, enquanto ser humano. Acredito também, que a partir de agora deva ser trabalhada a ideia da criação de meios que facilitem ainda mais, o acesso da vítima aos meios legais, para que de fato possa ser alcançado o resultado efetivo que se busca com esta Campanha" enfatizou a advogada.

Para Victoria Regia Malato, assistente social da JMOE, abordou sobre a necessidade de estabelecer um núcleo de suporte às vítimas de assedio e discriminação, para que se consiga promover mudanças dentro desse ambiente. "Devemos partir do princípio que cada um tem seu processo individual para lidar com as situações, então devemos focar em termos profissionais qualificados prontos para acolher essas pessoas que venham a sofrer com esse tipo de ação humilhante", finalizou.

Ampare

Durante o evento que foi voltado aos gestores, servidores e demais colaboradores do Poder Executivo do Tocantins, foi apresentada a cartilha "Ampare", que contém material instrutivo de como identificar e agir diante de situações de assédio sexual ou moral e discriminação no local de trabalho e, pode ser acessada por todos, através do seguinte link: https://central.to.gov.br/download/296618

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários