Segunda - Feira,
15 de Agosto de 2022

Adolescente com paralisia cerebral engravida após ser estuprada por primo de 13 anos, diz polícia

Caso foi registrado no norte do Tocantins. Inquérito foi concluído pela Polícia Civil e a gravidez interrompida seguindo previsão legal.

Autor: g1 Tocantins

Fonte: g1 Tocantins

Publicado em 05 de Agosto de 2022 (Atualizado Há 1 semana atrás)

Legenda: Viatura da Polícia Civil do Tocantins

Autor da Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Uma adolescente de 15 anos com paralisia cerebral engravidou após ser estuprada em Nova Olinda, no norte do estado. Durante investigação a Polícia Civil descobriu que o responsável pelo estupro foi um adolescente de 13 anos que é primo da vítima. A gravidez foi interrompida seguindo previsão legal.

O crime teria acontecido no início deste ano e o inquérito foi concluído nesta quarta-feira (3). O caso começou a ser investigado pela 33ª Delegacia de Nova Olinda depois que a mãe da vítima procurou a DP com exames comprovando a gravidez da filha.

A mulher relatou que a adolescente tinha sido vítima de estupro, pois devido a sua condição especial não possui qualquer discernimento para a prática de ato sexual. Relatou também que a filha é totalmente dependente até para as tarefas mais simples, não fala e tem dificuldade de locomoção.

Durante o inquérito foram colhidos materiais genéticos de possíveis suspeitos, do feto e da vítima. “Sendo possível apontar que um primo da adolescente seria o autor do ato infracional de estupro, que culminaram na gravidez da menina”, disse o delegado Charles Arruda.

O adolescente de 13 anos foi ouvido, mas negou envolvimento nos fatos. Apesar disto, segundo a polícia, os exames comprovaram que ele era o pai do filho que a adolescente esperava.

O inquérito foi concluído e encaminhado à Justiça. O menor deve responder por ato infracional e pode receber medida de internação por até três anos.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários