Candidata a vereadora suspeita de tráfico de drogas é presa durante operação da Polícia Civil

Segundo o delegado, durante a prisão, ela disse que não tem interesse em se eleger e que apenas se candidatou para cumprimento de cotas exigidas pela legislação eleitoral.

Publicado em: 06 de Outubro de 2020
Foto Por: Divulgação/SSP
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Policiais apreenderam maconha, cocaína, crack e comprimidos de LSD

Uma candidata a vereadora de um município do Tocantins foi presa em flagrante por suspeita de tráfico de drogas, na noite desta segunda-feira (5). A Secretaria de Segurança Pública (SSP) não informou o nome e nem a cidade onde ela concorre ao pleito. A prisão ocorreu na região sul de Palmas durante a operação da Polícia Civil.

 

Além dela, um homem também foi preso em outro ponto da capital. Junto com eles, foram apreendidos: mais de 15 quilos de maconha, um quilo de cocaína, um quilo de crack, 30 comprimidos de LSD (ácido Lisérgico), uma pequena máquina de prensagem de cocaína e uma motocicleta clonada.

 

De acordo com o delegado-chefe da 1ª Delegacia Especializada em Repressão a Narcóticos (Denarc) Enio Walcácer, ao ser flagrada, a mulher confessou que não tem interesse em se eleger e que apenas se candidatou para cumprimento de cotas exigidas pela legislação eleitoral.

 

A operação foi batizada de Capitidra (Cabeça da Hidra) numa alusão ao desdobramento da operação Hidra de Lerna, cujo objetivo é combater o tráfico de drogas a partir de suas ramificações fora dos presídios.

 

Desse modo, a equipe da Denarc monitorou, durante o fim de semana, um dos gerentes desses líderes de facções criminosas que ficam nos presídios e localizou dois pontos do tráfico, um com maior quantidade usado para armazenar as drogas e o outro para revenda.

 

A operação teve as participações do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual do Tocantins (MPE-TO) e do Departamento Estadual de Trânsito do Tocantins (Detran-TO). A Denarc é uma Divisão da Diretoria de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Dracco) da Polícia Civil do Tocantins.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.