Caseiro suspeito de roubar e matar servidor da Polícia Federal é preso e confessa crime

Primo do funcionário também foi detido por suposta participação no assassinato e outro homem foi flagrado com a arma que tinha sido roubada da vítima.

Publicado em: 14 de Setembro de 2020
Foto Por: Arquivo Pessoal
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Agente da PF foi encontrado morto em Aparecida do Rio Negro

O caseiro suspeito de assassinar o servidor administrativo da Polícia Federal, Aécio de Moura Lucas, de 58 anos, foi preso na noite deste sábado (12). A vítima foi assassinada em Aparecida do Rio Negro e teve a caminhonete roubada. De acordo com a Polícia Civil, além do funcionário que trabalhava na propriedade da vítima, outros dois homens foram detidos.

 

A prisão do caseiro foi feita por policiais federais que ficaram vários dias na mata fazendo buscas. Segundo a Polícia Militar (PM) um morador de Monte do Carmo disse que o suspeito estava escondido na zona rural da cidade. Ele estava na casa de uma tia e ao ver os policiais, correu para uma mata fechada, onde foi localizado momentos depois por uma equipe da PF.

 

A delegada Luciana Coelho Midlej, responsável pelas investigações, afirmou que um primo do funcionário também teria participado do latrocínio, que é roubo seguido de morte, e foi detido na sexta-feira (11) em Porto Nacional.

 

O caseiro confessou o crime.

"Ele falou que estava muito embriagado e teve a ideia de matar o patrão. Ideia essa que foi apoiada pelo primo e, após os golpes que ambos desferiram na vítima, fugiram levando a arma de fogo e a camionete da vítima", disse a delegada.

 

Ao ser detido, o caseiro ainda entregou um homem que estava com a arma roubada de Aécio de Moura. Ele foi preso em flagrante.

 

Os dois suspeitos do latrocínio foram presos em cumprimento de mandado de prisão temporária. Todos foram levados para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Palmas e depois encaminhados à Casa de Prisão Provisória (CPP) da capital.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.