Corregedoria decide investigar "infração disciplinar" após delegado criticar corrupção em postagem nas redes sociais

Pedido para que Bruno Boaventura fosse investigado foi da diretora de comunicação da SSP, Shirley Cruz. Ela citou como argumento o manual de procedimentos que ficou conhecido como "decreto da mordaça!

Publicado em: 30 de Maio de 2020
Foto Por: Reprodução/TV Anhanguera
Autor: G1 Tocantins
Fonte: G1 Tocantins
Delegado Bruno fez o comentário nas redes socias

A corregedoria da Polícia Civil do Tocantins decidiu abrir investigação contra o delegado Bruno Boaventura, da 28ª Delegacia de Polícia Civil, em Araguaína, por postagens feitas por ele nas redes sociais.

 

O caso foi durante o aniversário de Palmas, em 20 de maio, quando Boaventura repostou uma imagem comemorativa divulgada pela Secretaria de Segurança Pública com a mensagem: "Parabéns Palmas: 31 anos de muita Corrupção!!!".

O comentário desagradou a diretora de comunicação da SSP, Shirley Helena Cruz, que entrou com o pedido de investigação na Corregedoria. Ela argumenta que o delegado desrespeitou o Manual de Procedimentos de Polícia Judiciária, a polêmica medida instituída por Mauro Carlesse (DEM) em 2019 que foi chamada pela categoria de 'decreto da mordaça'. Entre outras proibições, o decreto impedia que delegados criticassem autoridades públicas.

Parabéns Palmas: 31 anos de muita Corrupção!!! pic.twitter.com/UGuo3ZYYRG

— May 20, 2020

O delegado ficou conhecido no estado pelo episódio da transferência durante o escândalo do lixo hospitalar. Ele foi exonerado do cargo de delegado regional após abrir investigação contra aliados políticos do governador. Na época, Bruno Boaventura disse que se tratava de uma perseguição da direção da SSP.

Sobre a nova investigação, o delegado voltou a dizer que considera uma tentativa de intimidação e afirmou que fez o comentário como um desabafo e nas redes sociais privadas dele, na condição de cidadão e não de delegado. Ele criticou o pedido de investigação por parte de Shirley Cruz.

"Foi um desabafo, eu disse que a corrupção sempre existiu na cidade. Não foi nada sobre uma pessoa específica e eu não vejo motivo pra diretora de comunicação da SSP ficar monitorando o que eu faço na rede social. Ainda mais por ser uma jornalista, ela deveria ser a primeira a defender a liberdade de expressão".

O delegado afirmou que vai tomar as medidas judiciais cabíveis para responsabilizar os responsáveis por dar origem à investigação.

Não é a primeira vez que a corregedoria da SSP tenta investigar um delegado por postagens nas redes sociais. Em março de 2019, a Justiça interveio em um caso e determinou o arquivamento de uma sindicância contra o delegado Hudson Guimarães por postagens feitas por ele. Nas publicações, o delegado criticava uma medida do governo que proibiu a entrada de celulares no gabinete do governador, Mauro Carlesse. Na época, a SSP acatou a decisão judicial.

O que diz a SSP

A Corregedoria-Geral da Segurança Pública disse que toda conduta de policial civil que possa configurar infração disciplinar é passível de averiguação pela corregedoria. Informou que o fato em questão se trata de um comentário que teve inclusive repercussão, com internautas demonstrando indignação quanto ao conteúdo depreciativo feito pela Autoridade Policial em cima de uma postagem da SSP alusiva ao aniversário da Capital do Estado do Tocantins, como se verificou das postagens seguintes ao comentário feito. Diante disso, informou que a conduta será averiguada pela Corregedoria para apurar se houve infração a dever funcional.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP), por sua vez, disse que a conduta da Diretoria de Comunicação está em conformidade as atribuições a ela conferidas, quais sejam a de zelar pela imagem da instituição.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.