Dois são presos em Araguaína suspeitos de integrar grupo que emitia documentos para veículos roubados

O Gaeco informou que Leandro Aguiar Barbosa e Danilo Valadares Nascimento eram procurados desde fevereiro. Justiça determinou quebra dos sigilos bancários e fiscais dos dois.

Publicado em: 27 de Junho de 2020
Foto Por: Divulgação/MPE TO
Autor: G1 Tocantins
Fonte: G1 Tocantins
Suspeitos estavam foragidos desde fevereiro

 Dois homens que estavam foragidos desde fevereiro por serem investigados na Operação Dolos, do Ministério Público do Tocantins e da Polícia Civil, foram localizados. O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) informou que Leandro Aguiar Barbosa e Danilo Valadares Nascimento foram localizados com a ajuda de policiais de Araguaína, no norte do Tocantins.

 

G1 tenta localizar a defesa dos dois citados.

Leandro Aguiar foi preso nesta sexta-feira (26) e Danilo Valadares tinha sido detido na última quarta-feira (24), mas só teve a prisão divulgada agora para não atrapalhar as investigações. Os dois ainda estavam em Araguaína.

 

Os dois são suspeitos de integrar um esquema que envolvia empresas credenciadas e servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) para emitir documentos aparentemente legalizados para veículos furtados ou roubados em outros estados. Não foi especificado quais seriam as funções de Aguiar e Valadares no esquema.

 

O Gaeco disse ainda que a Justiça autorizou a quebra dos sigilos bancários e fiscais dos dois, assim como de outros investigados. A investigação teve uma segunda fase no último dia 17 de junho, quando três pessoas foram presas e três mandados de busca e apreensão cumpridos em Araguaína e Tocantinópolis.

 

A suspeita da Polícia Civil é de que o grupo tenha emplacado cerca de 300 veículos de origem ilícita no Tocantins. Três inquéritos investigam o grupo criminoso. As apurações envolveram interceptações telefônicas e a quebra do sigilo do IP de computadores, autorizadas pela Justiça. Segundo a polícia, a administração do Detran contribuiu com as investigações.

 

O grupo teria sedes instaladas em Tocantinópolis e Araguaína e há anos vem praticando clonagens e emplacamentos fraudulentos de veículos. Os alvos dos criminosos seriam caminhões de altos valores.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.