Dupla é presa suspeita de matar lavrador, amarrar corpo em concreto e jogar dentro de rio

Crime aconteceu em novembro de 2017 na região norte do estado. Segundo a polícia, suspeitos amararam vítima em uma bomba costal cheia de concreto e lançaram nas águas.

Publicado em: 17 de Março de 2018
Foto Por: Bombeiros/Divulgação
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Bombeiros fizeram buscas por corpo no rio Araguaia

Uma dupla de suspeitos foi presa acusada de matar um lavrador e jogar o corpo, amarrado a uma bomba costal cheia de concreto, dentro do rio Araguaia em Araguatins, norte do Tocantins.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), Antônio de Jesus Araújo dos Santos e Elisângelo de Oliveira Nunes teriam matado a vítima a pauladas após um negócio ser desfeito.

Nesta sexta-feira (16), o Corpo de Bombeiros passou o dia procurando o corpo de Manoel da Conceição no local indicado pelos suspeitos. Porém, as buscas foram encerradas e devem ser retomadas apenas após passar o período da cheia do rio Araguaia.

Conforme a Polícia Civil, os suspeitos foram presos após o cumprimento de mandados de prisão preventiva. O crime aconteceu em novembro de 2017 no povoado chamado Trecho Seco, em São Bento do Tocantins, também na região norte.

Os dois suspeitos estão sendo acusados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Santos foi preso no Pará, onde teria confessado a autoria do crime e entregado o comparsa.

Ele disse ainda que os dois transportaram o corpo em uma motocicleta. Ao chegar no rio, amarraram a vítima ao concreto e jogaram nas águas.

Ao ser ouvido pela polícia, Nunes disse que decidiu matar o lavrador depois de ter desfeito um negócio onde compraria uma casa. Ele teria pedido a devolução de R$ 4 mil, mas a vítima tinha gastado o dinheiro e não teve como devolver.

Os dois suspeitos foram levados para a cadeia pública de Araguatins e as investigações continuam. O G1 ainda tenta contato com a defesa dos suspeitos

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.