Edital dispõe de R$ 187 milhões para projetos tocantinenses que visam formação em doenças crônicas não transmissíveis

A ação visa a melhoria dos serviços do Sistema Único de Saúde no que diz respeito a atenção básica, promoção da saúde e aos programas de alimentação e nutrição   

Publicado em: 04 de Setembro de 2020
Foto Por: Nonato Silva/ Governo do Tocantins
Autor: Geórgya Laranjeira Correa & Stefani Cavalcante/ Governo do Tocantins
Fonte: Ascom
O objetivo da chamada é apoiar projetos que integrem atividades de pesquisa, extensão e formação de gestores e profissionais de saúde da Atenção Primária à Saúde

Docentes com título de doutor e vínculo com instituição de ensino superior, estão convidados a participar de um edital que dispõe R$ 187 milhões de reais para o Tocantins a fim de aprimorar o serviço da atenção básica do Sistema Único de Saúde no que tange ao cuidado com pessoas com diabetes, obesidade e hipertensão.

 

Os interessados devem submeter proposta até 18 de Setembro pelo site  http://carloschagas.cnpq.br/. O Governo do Estado por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt), incentiva a participação dos pesquisadores pois reconhece a importância da apresentação de projetos científicos que aperfeiçoe o SUS.

  

O edital exige alguns parâmetros de participação, como: municípios com prevalência de obesidade acima da média estadual conforme o Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional - Sisvan 2019; municípios com o percentual maior de adultos com diagnóstico médico de hipertensão arterial e de diabetes acima do percentual da capital conforme dados do Vigitel 2019. E ainda contempla a diversidade de contextos conforme as categorias do Programa Previne Brasil (definidas pelo IBGE) – municípios urbanos, intermediários adjacentes, rurais adjacentes, intermediários remotos e rurais remotos.

 

 

Cada projeto precisa, obrigatoriamente, conter quatro eixos de pesquisa: Análise diagnóstica que consiste em desenvolver uma avaliação situacional da qualidade do cuidado com o grupo de pessoas citados e organização de processo de trabalho de equipes. Outro tema em questão é a Formação que visa o desenvolvimento estratégico e inovador para trabalhadores de saúde de nível superior e gestores no que tange a prevenção e cuidado (farmacológico e não farmacológico).

 

O terceiro eixo é a Avaliação que apoia e desenvolve pesquisa sobre as mudanças produzidas na organização dos serviços de saúde e no processo de trabalho das equipes. O quarto eixo é sobre Difusão e tradução do conhecimento que realiza e promove um conjunto de ações de educação, popularização e/ou divulgação científica do conhecimento junto à sociedade, para diferentes tipos de público. Desde o início do projeto, que sejam transversais às suas etapas, tanto em articulação com a comunidade científica; gestores das três esferas de governo; profissionais de saúde, comunidades locais; conselhos de políticas sociais; e grupos e instituições que atuam nas áreas de educação formal e não formal.

 

Objetivo geral

O objetivo da chamada é apoiar projetos que integrem atividades de pesquisa, extensão e formação de gestores e profissionais de saúde da Atenção Primária à Saúde (APS) para organização e qualificação do cuidado às pessoas com Doenças Crônicas não Transmissíveis- DCNT (diabetes mellitus-DM, hipertensão arterial sistêmica-HAS e obesidade). E ainda abordagem aos fatores de risco, especificamente, alimentação inadequada, tabagismo e inatividade física bem como que avaliem os efeitos da formação na reorganização do processo de trabalho das equipes, desenvolvidos em parceria com as secretarias estaduais e municipais de saúde.

 

 

CHAMADA FORMAÇÃO EM DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS DO CNPq


 

Data submissão de proposta: 18 de setembro de 2020

Link para submissão das propostas: http://carloschagas.cnpq.br/

Edital: https://fapt.to.gov.br/editais/editais-externos/

Público alvo: Pesquisadores de Instituições de Ensino Superior (IES) e de Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICT)

Resultado: 30 de novembro

Informações adicionais: atendimento@cnpq.br ou pelo telefone (61) 3211-4000

Quem promove: O programa é promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Promoção da Saúde (Depros). 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.