Empresário acusado de encomendar morte e suspeito de ser o pistoleiro são indiciados em Colméia

Crime foi em novembro de 2019 e teve grande repercussão no município. Vítima era conhecida como "Julinho" ficou meses desaparecida.

Publicado em: 28 de Julho de 2020
Foto Por: Divulgação/Prefeitura de Palmas
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Crime foi em Colméia, na região norte do Tocantins

A Polícia Civil indiciou nesta segunda-feira (27) um empresário e o suposto pistoleiro responsáveis por um assassinato em Colméia, na região norte do Tocantins. O crime foi em novembro de 2019, mas a vítima, identificada apenas pelo apelido de 'Julhinho', só foi localizada em abril de 2020.

 

Na época o suspeito de ser o executor foi preso e confessou o assassinato. Foi ele quem indicou a localização do corpo e informou ter recebido R$ 900 do comerciante para cometer o crime. A motivação seria uma desconfiança por parte do empresário de que a vítima tinha cometido furtos no bar dele na cidade.

 

O delegado responsável pelo caso Roberto Assis, explicou que se a Justiça aceitar a denúncia, os envolvidos podem pegar até 30 anos de prisão. O suposto pistoleiro responde ainda por outra tentativa de homicídio registrada na cidade.

 

O mandante do segundo crime seria um primo do comerciante que teria encomendado a morte de 'Julinho'. A motivação também teria relação com assaltos cometidos pela vítima. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.