Família de preso com coronavírus afirma que não foi avisada de resultado do exame

Os pais descobriram que o filho estava infectado 10 dias após o diagnóstico quando ligaram tentando receber notícias. Visitas estão suspensas nas unidades prisionais do Tocantins.

Publicado em: 11 de Julho de 2020
Foto Por: Reprodução/Google Street View
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Casos são na Casa de Prisão Provisória (CPP) de Guaraí

A família de um detento que foi infectado com o novo coronavírus na Casa de Prisão Provisória de Guaraí, região central do Tocantins, afirma que não foi avisada sobre o resultado do exame dele.

 

Os pais dizem que passaram mais de uma semana telefonando para a unidade para saberem como o filho estava antes de descobrir que o homem tinha recebido o diagnóstico da Covid-19 há 10 dias.

 

O preso em questão está prestes a ser solto, ele responde por receptação de produto furtado e está praticamente no fim da pena. Segundo os pais, após o teste dar positivo funcionários da unidade relataram que ele teve episódios de falta de ar, mas não souberam detalhar como está o estado de saúde dele.

 

A família informou que com as visitas no presídio suspensas por causa da pandemia, o advogado não conseguiu entrar no local para saber como está a saúde do detento.

 

A Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), que é responsável pelo Sistema Penitenciário, foi procurada para comentar o caso. Em nota, a Seciju disse que os advogados, a Defensoria Publica, Ministério Publico e o juiz da Vara Criminal são atualizados por ofícios e nos processos sobre o estado de saúde dos presos. A Secretaria não explicou porque a defesa do preso citado na reportagem não conseguiu acesso aos boletins médicos dele.

 

Sobre as famílias, disse que as informações estão sendo repassadas através das 'Televisitas', projeto desenvolvido que tem o objetivo de "aproximar os custodiados nos estabelecimentos penais de seus familiares através de ligações telefônicas". Não foi explicado pela Seciju qual a frequências destas ligações ou porque no caso do detento citado a informação demorou 10 dias para ser liberada. A secretaria também ainda não respondeu se todos os presos infectados têm direito a fazer os telefonemas.

 

Segundo a nota, os familiares que quiserem solicitar informações sobre a saúde dos presos podem fazer os pedidos por e-mail ou ligação telefônica a diretoria da unidade. A Seciju não informou onde há uma lista disponível com os contatos de cada presídio.

 

Atualmente a CPP de Guaraí tem mais de 40 presos diagnosticados com a doença, sendo um dos locais com a maior incidência do novo coronavírus na cidade.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.