Filadélfia e Itapiratins zeram casos ativos de coronavírus

Os dois municípios registraram 41 casos da doença e anunciaram que não têm mais casos ativos nesta quarta-feira. Em Filadélfia, duas pessoas morreram.

Publicado em: 09 de Julho de 2020
Foto Por: Reprodução/TV Anhanguera
Autor: G1 Tocantins.
Fonte: G1 Tocantins.
Filadélfia conseguiu zerar os casos de coronavírus

As Prefeituras de Filadélfia e Itapiratins, no norte do Tocantins, anunciaram nesta quarta-feira (8) que conseguiram zerar os casos ativos do novo coronavírus.

 

Os dois municípios coincidentemente tiveram o mesmo número de casos confirmados, 41. Atualmente, todas as pessoas que estavam em observação já tiveram alta médica.

 

Apesar do alívio, continuam em vigor as medidas de distanciamento social. O objetivo é evitar o ressurgimento da Covid-19 entre os moradores. Filadélfia é vizinha de Araguaína, a cidade mais afetada em todo o estado, com mais de 4,6 mil casos e Itapiratins fica a cerca de 200 km.

 

Entre os pacientes que foram contaminados em Filadélfia, houve 16 homens e 25 mulheres. As duas mortes registradas na cidade foram de mulheres. Uma delas tinha 69 anos e morreu no dia 18 de junho no Hospital Regional de Araguaína. Segundo o boletim epidemiológico da época, ela sofria de insuficiência cardíaca e renal.

 

A outra morte foi de uma idosa de 90 anos, registrada nesta quarta-feira (8) na Unidade de Pronto Atendimento de Araguaína. Ela tinha uma doença pulmonar obstrutiva crônica e era fumante, segundo informou a Secretaria de Estado da Saúde. Em Itapiratins não houve registro de mortos.

 

As autoridades de saúde alertam que o fato dos casos terem zerado não é motivo para relaxar as medidas de isolamento. Eles lembram que em Cariri do Tocantins, na região sul do estado, houve o surgimento dos novos casos após o anúncio de que eles estavam zerados.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.