Fórum debate o protagonismo dos jovens na região Amazônica

A intenção é criar um manifesto pela educação empreendedora

Publicado em: 30 de Outubro de 2020
Foto Por: Divulgação
Autor: Ascom
Fonte: Ascom

A Educação Empreendedora é uma das principais ações do Sebrae em todo o país. A intenção da iniciativa é o estímulo ao empreendedorismo ainda nas escolas, no processo de formação, demonstrando que empreender não se aplica somente na condução dos negócios, mas em todas as áreas e, quanto mais cedo essa cultura for estimulada, melhores são os resultados.

 

Tudo isso foi discutido e apresentado durante o Fórum do Protagonismo Juvenil, que contou com a participação de superintendentes e diretores do Sebrae da região da Amazônia Legal, como parte da programação da Semana Integrada de Ciência e Tecnologia de Gurupi - SICTEG.


 
Para o diretor técnico do Sebrae Nacional, Bruno Quick, os jovens da região amazônica tem um grande desafio de unir desenvolvimento e preservação.

 

"O melhor investimento que o país pode fazer é apostar nos jovens, na ciência e inovação desde a escola. Isso permitirá um olhar diferenciado e projetos para protagonizar melhorias nas comunidades em que estão inseridos", avaliou.


 
O presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) Luiz Miguel apontou que esse é o melhor momento para a educação empreendedora, pois todos estão buscando a inovação e conhecimento. "A resposta está justamente nos jovens e nas novas ideias", afirmou Luiz Miguel.


 
Alinhado a esse pensamento, o superintendente do Sebrae Tocantins, Moisés Gomes, reforçou o papel dos jovens nas novas exigências do mercado.

 

"Com toda essa transformação, vimos a necessidade de discutir esse novo momento em que serão exigidos novos perfis profissionais e modelos mentais. E esse perfil nasce na carteira da escola e envolve um esforço coletivo, além da educação formal, abrangendo a formação técnica, a capacitação e a inovação", reforçou Gomes.
 


A diretora técnica do Sebrae Tocantins, Eliana Castro, agradeceu a participação de todos os participantes do fórum que demonstraram as experiências e exitosas e as perspectivas futuras. "Estamos vivenciando um momento ímpar, onde as distâncias foram encurtadas e as possibilidades de aprendizagem estão mais acessíveis. Assim os jovens dos mais diferentes lugares podem fazer a diferença", analisou.


 
A Universidade Federal do Tocantins (UFT) também participou das discussões do Fórum. O reitor Luiz Eduardo Bovolato destacou a parceria com o Sebrae e que na academia existe o incentivo as startups, as escolas juniores e a cultura empreendedora.

 

"É preciso criar um conjunto de estímulos, incentivar a participação de pesquisas, de iniciação cientifica. Queremos que nossos alunos tenham esse pensamento e espírito empreendedor para terem opções variadas de empregabilidade, inclusive o de montar o seu próprio negócio", destacou o reitor.


 
Em toda a região Amazônica, as unidades do Sebrae têm parcerias ou estão em fase de tratativas para a implementação da educação empreendedora nas escolas. Nesse momento, as diretorias executivas vão somar os esforços para que essa ação se amplie cada vez, por meio de uma Carta Manifesto do Protagonismo Juvenil no Estados da Região Amazônia Legal.
 
(Assessoria de imprensa Sebrae)
Acesse: https://bit.ly/2Jb7S1Q

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.