Fotografo tocantinense registra passagem do cometa Neowise pelo céu do Hemisfério Norte

Imagens foram feitas em Cristalândia, na região central do estado. Lucas Vilanova conta que demorou 30 minutos para localizar o cometa e teve muito trabalho para fazer o registro.

Publicado em: 25 de Julho de 2020
Foto Por: Lucas Vilanova/Divulgação
Autor: G1 Tocantins
Fonte: G1 Tocantins

O fotógrafo tocantinese Lucas Vilanova, de 26 anos, conseguiu registrar a passagem do cometa Neowise pelo Brasil na noite desta quinta-feira (23). As fotos foram tiradas em Cristalândia, na região central do estado.

 

Lucas Vilanova é servidor público e tem a fotografia como um hobby. Apaixonado por fotografar a natureza, ele passou a se interessar por fotografar o céu noturno após investir em uma câmera. Hoje ele mantém uma rede social onde divulga seu trabalho.

 

"Consegui fotografar a via láctea, as estrelas. São imagens que a olho nu você não consegue ver muito bem, como é o caso do cometa. A fotografia despertou esse lado astronômico, vamos dizer assim. De lá para cá passei a fotografar a natureza e o céu noturno, que é um espetáculo à parte", comentou o jovem.

 

Apesar de estar em uma cidade no interior do estado, onde a poluição luminosa é menor, conseguir uma foto nítida da passagem do cometa não foi tarefa fácil. Lucas Vilanova conta que demorou cerca de 30 minutos e precisou tirar várias fotos para conseguir localizar o corpo celeste.

 

"Foi bem difícil porque no Hemisfério Norte, onde ele apareceu primeiro, estava bem visível, mas aqui para o sul não estava. Foi bem difícil. Depois que achei, eu tirei várias fotos até conseguir tirar uma foto mais nítida dele", disse.

 

O cometa

Descoberto no final de março pelo satélite Neowise da agência espacial americana (Nasa), o cometa ficou visível a olho nu em 3 de julho quando atingiu seu periélio, ponto de sua órbita mais próximo do Sol.

 

Os cometas são corpos formados por gelo, rochas e materiais orgânicos, e vêm dos confins do sistema solar: o cinturão de Kuiper, ou talvez ainda mais longe, da nuvem de Oort, que são ambas concentrações de pequenos corpos celestes.

 

O Neowise é um dos poucos cometas do século XXI que podem ser vistos a olho nu, segundo a Nasa. Há registros de sua passagem em diferentes países do hemisfério norte. Ele deve se chegar ao ponto mais próximo da Terra em 23 de julho.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.