Domingo,
01 de Agosto de 2021

Justiça aceita denúncia contra motorista suspeito de atropelar e matar advogados que pedalavam em rodovia

Réu vai responder por homicídio culposo no trânsito. Juiz da 1ª Vara Criminal de Palmas também determinou segredo de justiça no caso.

Autor: G1 Tocantins

Fonte: G1 Tocantins

Publicado em 17 de Junho de 2021 (Atualizado Há 2 meses atrás)

Legenda: Thiago [de [oculos] e Vadonez morreram na TO-010

Autor da Foto: Divulgação

A Justiça aceitou denúncia contra Whandeuarly Rodrigues Sousa, de 31 anos, por homicídio culposo no trânsito. O réu estava dirigindo o veículo que atropelou e matou os ciclistas Thiago Germano dos Santos e Valdonez Sobreira de Lima, em agosto do ano passado, na TO-010 entre Palmas e Lajeado. A decisão foi publicada nesta quarta-feira (16) pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Palmas.

"Ademais, a denúncia encontra amparo no inquérito policial em apenso, do qual se extrai prova da materialidade delitiva e indícios de autoria. Outrossim, não vislumbro a possibilidade de rejeição liminar da denúncia", diz trecho da decisão.

O juiz Cledson Nunes também determinou que o inquérito seja colocado em segredo de justiça. A defesa de Whandeuarly Rodrigues Sousa agora terá o prazo de dez dias para apresentar a defesa.

A denúncia foi apresentada pelo promotor Delveaux Prudente Júnior no dia 5 de maio. Casos de homicídio culposo não vão para o Tribunal do Júri e são analisados por um juiz singular. O julgamento ainda não tem uma data marcada.

G1 aguarda um posicionamento do advogado do réu.

Entenda

Na época do acidente a polícia informou que as vítimas estavam pedalando às margens da rodovia e foram arremessadas a cerca de 100 metros de distância. Os ciclistas, que eram dois advogados, não resistiram.

Segundo a denúncia, o laudo da perícia constatou "que a causa determinante do acidente foi a invasão da faixa de acostamento por parte do condutor do veículo V-1 ASTRA GL, [....] por motivos que não se pôde precisar materialmente."

O motorista saiu do local e abandonou o veículo em uma entrada de Palmas. Ele se apresentou à polícia dias depois junto com um advogado. A defesa de Whandeuarly Rodrigues afirmou na época que o cliente não ingeriu bebida alcóolica e saiu do local por medo de ser linchado.

Para o MPE, o investigado “se afastou do local do acidente, para fugir a responsabilidade penal ou cível”. Além disso, o documento afirma que dentro do carro de Whandeuarly Rodrigues foi encontrada uma caixa térmica contendo cerveja e refrigerante. No veículo também foi encontrada uma porção com 17 gramas de maconha.

Durante depoimento o investigado negou ter ingerido bebida alcoólica ou usado substância entorpecente, alegando que as cervejas encontradas em seu veículo eram para serem consumidas no acampamento em Lajeado e a droga pertencia a seu irmão. Também afirmou que dirigiu pelo acostamento porque foi atrapalhado pelo sol.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários