Lojas de telefonia são notificadas por descumprir lei estadual que regulamenta tempo de espera para clientes

Na maioria dos locais foi verificado que não era disponibilizada senha e não havia informações sobre a norma. Empresas terão que se adequar em 48 horas ou poderão ser multadas.

Publicado em: 03 de Outubro de 2020
Foto Por: Procon/Divulgação
Autor:  G1 Tocantins.
Fonte:  G1 Tocantins.
Fiscais do Procon durante visita em loja de telefonia

Lojas de quatro operadoras de telefonia foram notificadas pelo Procon Tocantins por descumprir uma lei estadual que estabelece o tempo máximo de espera pelos clientes dentro dos estabelecimentos. Na maioria dos locais foi verificado que não era nem disponibilizada senha para os usuários. Foram autuadas lojas em Palmas, Guaraí, Gurupi, Porto Nacional, Araguaína, Colinas e Paraíso do Tocantins.

 

A lei foi sancionada em julho deste ano pelo governo do estado. O texto estabelece que as empresas de telefonias estão proibidas, no Tocantins, de exceder o prazo de 15 minutos para atender os clientes dentro de suas lojas, em dias úteis e de 30 minutos, em vésperas de feriados, datas comemorativas e fins de semana.

 

Ainda de acordo com a lei, as lojas ficam obrigadas a fornecer senha aos consumidores, com informações sobre ordem de chegada, data e horário que comprovem o tempo de espera. As operadoras também devem afixar esta norma em locais de fácil visualização.

 

Segundo o Procon, 21 empresas foram fiscalizadas durante esta semana. Na maioria dos estabelecimentos foi verificado que não estavam sendo disponibilizadas senhas, assim como não havia informação sobre a lei em lugar de fácil visualização.

 

Todas as empresas que foram notificadas receberam o prazo de 48 horas para corrigirem as irregularidades encontradas. "É nítido o descumprimento da lei, em todos os estabelecimentos encontramos irregularidades. Caso as empresas não se regularizem dentro do prazo concedido as mesmas podem ser autuadas", informou o gerente de fiscalização Magno Silva.

 

O que dizem as empresas

A TIM informou que adota todas as práticas sanitárias e de segurança do Ministério da Saúde para proteção de seus clientes. Com relação à lei estadual, a empresa fará os devidos esclarecimentos ao Procon.

 

A Vivo informou que já cumpre as determinações da legislação vigente. A empresa ressalta ainda que, alinhada ao propósito da marca, Digitalizar para Aproximar, mantem diversos canais de relacionamento com os consumidores entre eles Meu Vivo, atendimento via whatsapp e o Atendimento Agendado, em que seus clientes podem marcar seu atendimento em loja pelo app Meu Vivo Móvel com até 30 minutos de antecedência, proporcionando maior comodidade e evitando tempo de espera.

 

A Claro disse que observa a legislação e as normas da Anatel e estabelece um protocolo de segurança para proteger clientes e colaboradores. Informou ainda que "investe na infraestrutura do atendimento personalizado e em soluções digitais por meio do site www.claro.com.br, nos aplicativos Minha Claro residencial e Minha Claro móvel, além do suporte por WhatsApp no número (11) 99991-062".

 

O G1 entrou em contato com a Oi, que também foi notificada, e aguarda um posicionamento.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.