Segunda - Feira,
19 de Abril de 2021

MPE investiga construção de portal na entrada de Porto Nacional

MPE investiga construção de portal na entrada de Porto Nacional

Autor: G1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins.

Publicado em 30 de Abril de 2018 (Atualizado Há 3 anos atrás)

Legenda: Sem Legenda

Autor da Foto: TV Anhanguera/Reprodução

O Ministério Público investiga a construção de um portal na entrada de Porto Nacional, cidade histórica, da região central do estado, que fica 60 km de Palmas. Com mais de 10 metros de altura, a obra custa mais de R$ 800 mil.

O arco passa pela TO-050, um dos principais acessos para a região sul do Tocantins.

 

Um trecho teve que ser bloqueado. O desvio causa transtorno para os motoristas. "O desvio é horrível em dia de chuva, mas faz parte", diz o motorista Claudio Siqueira.

"Perigo total. A gente passa de madrugada e tem que ficar freando, freada brusca. Tem que controlar o carro, passar em baixa velocidade", conta o representante comercial César Peralta.

A prefeitura fez até um vídeo para mostrar como deve ficar o portal e a nova entrada da cidade que tem pouco mais de 50 mil habitantes. A obra é inspirada no estilo francês de construção, como foi feita a centenária catedral Nossa Senhora das Mercês, principal ponto turístico do município.

Na placa do portal, os prazos de início e entrega não foram respeitados. Funcionários trabalhavam sem equipamentos de segurança.

O portal começou a ser construído no início desse ano, agora está na fase de finalização. Ainda será revestido com pedras e placas metálicas e também vai ter uma iluminação especial. O valor da obra da nova entrada de Porto Nacional passa de R$ 800 mil.

O secretário executivo de infraestrutura Wagner Lopes Bastos defende o projeto. A verba é federal, R$ 890 mil são do Ministério do Turismo.

"Se forem levantados todos os ítens que estão sendo construídos no local, é possível identificar que não é exagero. A gente está trazendo uma melhor imagem para o município, uma melhor acessibilidade para os moradores da região que tem um tráfego diário para a capital", defende.

O Ministério Público Estadual instaurou um inquérito assim que a obra foi iniciada porque, segundo o MPE, o local estava sem sinalização e oferecia risco aos motoristas. "O MPE encaminhou a informação da existência da obra para o MPF, já que as verbas que a compõem são da união", afirma o promotor Vinicius de Oliveira e Silva.

O Ministério Público Federal divulgou que está analisando o caso. Para quem mora na cidade simples e rica em história, o dinheiro público poderia ser usado de outra forma.

"Um portal tão grande, com tanta gente passando necessidade, fome. Então eu acho isso um absurdo", reclama a balconista Maria Amélia Alves.

"Se eles olhassem um pouco mais para dentro da cidade e não para a entrada, para cuidar do povo", diz motorista Leonardo Hamasaki.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários