PM prende suspeito de estupro de vulnerável na cidade de Itacajá

O criminoso é reincidente na prática de estupro e estava com mandado de prisão em aberto, da justiça do estado de Goiás.

Publicado em: 14 de Fevereiro de 2020
Foto Por: Divulgação
Autor: Luana Barros/Governo do Tocantins (revisão)
Fonte: Ascom

A Polícia Militar prendeu em flagrante na tarde de terça-feira, 11, no centro da cidade de Itacajá, um homem de 34 anos, acusado de estuprar duas crianças, de 11 e 12 anos. O indivíduo possui mandado de prisão em aberto, na cidade de Goiânia-GO, pelo mesmo crime, estupro de vulnerável.

As meninas estavam indo para escola quando foram abordadas pelo suspeito nas proximidades de uma igreja. Ele estava em um carro preto e ameaçou as crianças com uma faca, obrigando as vítimas a entrarem no veículo. Elas foram levadas para um matagal isolado, onde o criminoso praticou o estupro. Em seguida ele abandonou as meninas e fugiu.

A mãe de uma das meninas, que são amigas, tomou conhecimento do fato relatado por sua filha e imediatamente acionou a PM. Diante das informações, os militares saíram em diligência e localizaram o homem na Avenida Presidente Dutra. Ele ainda tentou fugir ao perceber a aproximação policial.

Com o apoio do Escrivão da Polícia Civil de Itacajá, os policiais militares conseguiram prender o indivíduo, que ainda estava de posse da arma usada para ameaçar as vítimas. O criminoso foi preso em flagrante e conduzido à Delegacia de Polícia na cidade de Preso Afonso, onde foi autuado pelo crime de estupro de vulnerável. Os policiais constataram que o indivíduo já possui mandado de prisão em aberto, também pelo crime de estupro de vulnerável, na cidade de Goiânia-GO, de onde é natural.

As vítimas também compareceram à Delegacia, acompanhadas pelas mães, para os procedimentos cabíveis. As meninas foram encaminhadas para atendimento médico na cidade de Guaraí.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.