Domingo,
18 de Abril de 2021

Polícia Militar flagra indivíduos dentro de reserva indígena cometendo crime ambiental

Material apreendido pela PM em poder dos suspeitos

Autor: Cleber Toledo

Fonte: Cleber Toledo

Publicado em 08 de Fevereiro de 2021 (Atualizado Há 2 meses atrás)

Legenda: Sem Legenda

Autor da Foto: Polícia Militar/Governo do Tocantins

O Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) prendeu, nesse sábado, 6, dois indivíduos, de 43 e 49 anos, na reserva indígena da etnia Xerente, localizada entre os municípios de Tocantínia e Rio Sono, por prática de crime ambiental relativo à extração de madeira.

 

A equipe do BPMA, após receber denúncia de representante da Fundação Nacional do Índio (Funai) sobre a ocorrência de crime ambiental na reserva, se deslocou até o local, onde flagrou dois indivíduos conduzindo um caminhão e uma motocicleta. Eles estavam ainda de posse de uma arma de fogo e uma motosserra.

 

Questionados pelos policiais, os suspeitos informaram que haviam sido contratados por um cacique de uma aldeia da região, para que realizassem o transporte de produtos florestais (estacas e pranchas) de dentro da reserva e que seriam vendidos posteriormente. Diante da situação, os sujeitos, bem como os bens localizados, foram encaminhados para a sede da Polícia Federal, em Palmas, onde foram autuados em flagrante por crimes previstos na Lei de Crimes Ambientais, Código Penal e Estatuto do Desarmamento.

Posteriormente foram conduzidos para a Casa de Prisão Provisória de Palmas, ficando à disposição da Justiça. Também foi aplicada uma multa no valor de R$ 1 mil pelo porte de motosserra sem registro da autoridade competente. Todos os bens apreendidos ficaram sob a responsabilidade da Polícia Federal, que prosseguirá nas investigações a fim de identificar mais envolvidos nessa prática delituosa, dentro do território indígena. (Da assessoria de imprensa)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários