Porcos transportados ilegalmente são sacrificados pela Agência de Defesa Agropecuária

Animais não tinham documentação e tinham saído de área que não está oficialmente livre da peste suína. Ao todo foram oito animais sacrificados para evitar riscos.

Publicado em: 17 de Junho de 2020
Foto Por: Adapec/Divulgação
Autor: G1 Tocantins
Fonte: G1 Tocantins
Fiscais encontraram animais em carga viva que estava sendo transportada pelo Tocantins

A Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec) informou que sacrificou suínos que estavam sendo transportados ilegalmente do estado do Pará para Goiás, passando pelo Tocantins. Os animais não estavam com documentação regular e não poderiam transitar pelo estado porque saíram de uma área que não está oficialmente livre da peste suína.

 

Os oito animais foram encontrados durante uma fiscalização de rotina na barreira fixa de Talismã, na região sul do estado por fiscais da Adapec. Como o Tocantins é internacionalmente livre da doença, o trânsito de animais de áreas não livres da pestes suína é proibido.

 

Os porcos foram sacrificados com o apoio da Polícia Militar e da prefeitura de Talismã. A Adapec informou que o motorista do caminhão levava animais de diversas espécies na carroceria. Todos tinham documentações corretas, com exceção dos porcos.

 

Peste suína

 

A peste suína não é transmitida ao homem, mas a doença traz perdas e pode impactar diversos mercados. Segundo o Ministério da Agricultura, a área livre para doença no país inclui três zonas, abrangendo o Distrito Federal e 15, entre eles o Tocantins.

 

Os principais sintomas da doença que acomete os suínos e javalis são: febre alta, perda do apetite, diarreias, paralisias, tremores, manchas hemorrágicas pelo corpo e andar cambaleante. Em caso de suspeita da doença o produtor deve comunicar a Adapec imediatamente.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.