Prefeitura deixa de realizar Carnaval para reformar 'Cristo Redentor'

Ponto turístico de Araguaína está em péssimas condições. Este é o terceiro ano consecutivo que o município cancela a folia.

Publicado em: 06 de Fevereiro de 2018
Foto Por: Reprodução/TV Anhanguera
Autor: G1
Fonte: G1
Cristo Redentor é um dos pontos turísticos de Araguaína

Pelo terceiro ano consecutivo, os moradores de Araguaína vão ficar sem Carnaval. A prefeitura cancelou a festa e disse que vai usar a verba para reformar a réplica do Cristo Redentor, um monumento da cidade que atrai turistas, mas que está em péssimas condições. Em 2016, a prefeitura anunciou que usaria o dinheiro da folia para reformar o terminal rodoviário. Dois anos depois, as obras não foram concluídas.(Veja o vídeo)

O anúncio foi feito pelo prefeito Ronaldo Dimas na noite desta segunda-feira (5). A prefeitura ainda não informou qual o valor da verba e nem quando começará a obra.

A reforma da rodoviária da cidade deveria ter sido concluída em 2016. Parte já foi inaugurada e entregue para a população, mas a outra metade ainda está sem conclusão. Essa fase da obra de revitalização foi orçada em R$ 900 mil. A Prefeitura de Araguaína disse que a obra deve ser concluída no próximo mês.

No ano passado, o município disse que iria destinar R$ 500 mil para a construção de uma escola de artes. As obras foram entregues este ano.

G1 fez um levantamento das prefeituras que não vão fazer o Carnaval. Em geral, os motivos são a falta de recursos, o pagamento de servidores públicos e a prioridades com outros investimentos. Pelo menos oito cidades, entre as maiores do estado, não vão promover a festa.

Em Formoso do Araguaia, por exemplo, não haverá festa de Carnaval pelo terceiro ano consecutivo. O secretário Pedro Ferreira disse que o principal motivo do cancelamento é a conteção de gastos.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.