Sala de aula alaga e alunos esperam chuva passar no corredor da escola

Publicado em: 29 de Janeiro de 2018
Foto Por: Reprodução
Autor: G1 TO
Fonte: G1 TO
Alunos esperam chuva passar no corredor da escola

Segundo professora, alunos não puderam ser liberados para não perderem aula. Ela conta que o forro está estragado, há problemas na fiação, a estrutura de madeira está fofa e muro está caindo.

Professores do Colégio Estadual Nossa Senhora da Providência, em Miranorte, denunciam a precariedade da estrutura. Um vídeo gravado dentro da unidade mostra um pavilhão repleto de poças de água durante a chuva. Os alunos esperam a tempestade passar sentados no corredor, em meio a água. (Veja o vídeo)

A professora Fernanda da Cruz Sélis, que gravou o vídeo na tarde da última terça-feira (23), diz que vê o problema desde que começou a trabalhar na escola em 2014. Ela conta que além do forro estragado, há problemas na fiação, a estrutura de madeira está fofa e muro está caindo.

"Nós colocamos os alunos no corredor para se caso acontecesse alguma coisa, o acesso a saída fosse mais rápido. Também não podíamos colocá-los lá fora, na chuva."

De acordo com a professora, os alunos tiveram que esperar a chuva passar para continuar assistindo as aulas, já que eles não poderiam ser enviados para casa. "A Diretoria Regional de Ensino não autoriza que a gente libere os alunos para que eles não percam aula. Eu entendo que o ideal é não perder aula, mas não podemos expor os alunos ao perigo."

Fernanda disse que a reclamação já foi feita junto a Diretoria Regional de Ensino e a Secretaria Estadual de Educação. "Já fizemos abaixo-assinado junto com pais, mandamos imagens, mas eles dizem que precisamos esperar porque existem outras escolas com problemas mais urgentes."

O G1 entrou em contato com a Secretaria Estadual de Educação, mas até a publicação dessa reportagem não recebeu resposta.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.