Quarta - Feira,
05 de Maio de 2021

Trabalhador procura por dono de bicicleta que está acorrentada a poste há quatro meses em Palmas

No mês de fevereiro, bicicleta apareceu ao lado da tenda onde Osvaldo Marques, de 62 anos, trabalha. Trabalhador não tem meio de locomoção e honestidade tem surpreendido moradores da capital.

Autor: TV Anhanguera

Fonte: G1 Tocantins.

Publicado em 03 de Maio de 2021 (Atualizado Há 2 dias atrás)

Legenda: Bicicleta está acorrentada há 4 meses

Autor da Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Um trabalhador da capital procura pelo dono de uma bicicleta, que está acorrentada a um poste, há quatro meses em Palmas. O corretor Osvaldo Marques, de 62 anos, trabalha em uma tenda, às margens da avenida que dá acesso ao aeroporto da capital, e se surpreendeu quando a bike apareceu no local.

Há oito meses, o corretor trabalha na tenda de uma empresa, que comercializa loteamento na cidade. Ele entra às 6h e só sai às 18h, todos os dias. Numa manhã de fevereiro, Osvaldo se deparou com a bicicleta, ao lado do local de trabalho.

A bike está trancada com um cadeado. O mais tem deixado Osvaldo intrigado é que, depois de quatro meses, o dono nunca apareceu.

"Eu trazendo as cadeiras e a mesa para colocar debaixo da tenda, ajeitar meu ponto de plantão, eu avistei essa bicicleta e imaginei: 'Bom, [deve ser de algum] trabalhador que chega mais cedo que eu. Deixa a bicicleta aqui, vai trabalhar e no retorno dele pega a bicicleta e vai para casa'. Mas vários dias, ela continuou aqui", explicou.

A bicicleta está um pouco danificada, com algumas peças amassadas e outras, quebradas. A hipótese do seu Osvaldo é que o dono pode ter se envolvido em algum acidente.

"Eu olhei e verifiquei que ela estava danificada, então falei: 'Algum carro bateu nessa bicicleta e o ciclista foi socorrido e às vezes não lembra onde deixou ou está internado no HGP".

Seu Osvaldo divulgou nas redes sociais para tentar encontrar o dono Ele não tem nenhum meio de transporte e essa atitude de honestidade, chamou atenção de moradora da capital.

"No sentido de você estar trabalhando nesse local há tantos dias, 90 dias, o cara deixou a bicicleta amarrada e não sabe quem é o dono. Espero que a gente consiga achar o dono. Mas só demonstra a sua demonstra a honestidade [de Osvaldo]. Em um momento de tanta dificuldade, ainda existem pessoas boas", disse o professor de MMA Crispim.

"Gostaria muito que o dono soubesse que a bicicleta dele está aqui porque acredito eu que, como ela apareceu aqui de manhã, pode ser um trabalhador que usa bicicleta para ir trabalhar ou veio até aqui para pegar um ônibus mais próximo. Talvez esteja fazendo falta para ele, ressaltou Osvaldo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Seu comentário aguardará aprovação antes de ser publicado no site

Sem Comentários